O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso mais uma vez na manhã desta terça-feira (19/3) por suspeita de corrupção para obstruir a Justiça. A ação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Curitiba, é mais um desdobramento da Operação Quadro Negro, segundo o G1.

Também foram presos nesta terça-feira, o empresário e apontado como operador financeiro Jorge Atherino e o ex-secretário especial de Cerimonial e Relações Exteriores do Paraná, Ezequias Moreira. Ezequias teria ajudado a arrecadar fundos para a campanha de Beto Richa à reeleição no estado por meio de desvio de dinheiro destinado à reforma e construção de escolas.

Esta é a terceira vez que o ex-governador do Paraná é preso, conforme o portal. A Operação Quadro Negro investiga o desvio de milhões de reais da construção de escolas estaduais.

Informações do Ministério Público do Paraná apontam que havia um setor da Secretaria de Educação para apresentar relatórios fraudulentos sobre as obras nos colégios. Esses documentos indicavam que os trabalhos nos colégios estavam em andamento. No entanto, em diversas ocasiões, nem haviam começado.