Para sensibilizar os gestores e estudantes para a importância do consumo de água, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação e Qualidade do Ensino (Seduc-AM), Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e Águas de Manaus, realiza nesta sexta-feira (22/03) uma exposição sobre a importância da qualidade da água para o consumo humano, na Escola Estadual de Tempo Integral Raphael Henrique Pinheiro, localizada na Comunidade Jesus Me Deu, bairro Colônia Terra Nova, zona oeste de Manaus, a partir das 13h. A programação é alusiva ao Dia Mundial da Água, comemorado no dia 22 de março.

A programação acontece até 16h, com exposição do laboratório móvel da Funasa, palestra sobre o Programa de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano, apresentação e distribuição de material educativo sobre medidas de prevenção de doenças, além de apresentação musical.

De acordo com a gerente de riscos não biológicos da FVS, Ana Lucy Magalhães, a Fundação realiza o monitoramento da qualidade da água para o consumo humano nas escolas estaduais, na capital, de forma a contribuir com a vigilância da qualidade da água distribuída aos alunos.

Ana Lucy explica que a água quando não tratada de forma adequada pode transmitir várias doenças. “Entre as principais doenças, as verminoses e parasitoses são as que mais preocupam, pois debilitam seu hospedeiro, no caso os estudantes, que podem ficar indispostos e isso dificulta o aprendizado”, revelou.

Programa VIGIÁGUA – Para melhorar a qualidade da água de consumo humano, o Ministério da Saúde instituiu o Programa Nacional de Vigilância da Qualidade da Água (VIGIÁGUA), a fim de garantir a população acesso à água em quantidade suficiente e qualidade compatível.

Atualmente, no Amazonas, 23 municípios aderiram ao programa e realizaram o monitoramento da água. No Estado, a FVS coordena o programa apoiando os municípios, disponibilizando os insumos e equipamentos necessários para a implantação do laboratório para o monitoramento da qualidade da água a nível local, de responsabilidade das secretarias municipais de Saúde.