Ator da Globo, José de Abreu está sendo processado pelo hospital Albert Einstein após declaração polêmica sobre Jair Bolsonaro que envolveu a instituição.

Depois da posse de Bolsonaro como presidente da República, no dia 01 de janeiro, o ator publicou em seu perfil oficial no Twitter uma mensagem atacando o político e dizendo que a facada por ele em Juiz de Fora (MG) foi forjada com a ajuda do hospital.

“Teremos um governo repressor, cuja eleição foi decidida numa facada elaborada pelo Mossad, com apoio do hospital Albert Einstein, comprovada pela vinda do PM israelense, o fascista matador e corruptor Bibi. A união entre a igreja evangélica e o governo israelense vai dar m*rda”, dizia o tweet de Abreu que, na ocasião, foi apagado minutos após à publicação.

Após a acusação, a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein repudiou a declaração por meio de comunicado oficial, e classificou a acusação como “grave, insultuosa e infundada”. Na época, anunciou ainda que iria tomar as medidas judiciais cabíveis para “zelar seu compromisso com a sociedade brasileira”.

Em fevereiro, a instituição entrou com um processo contra o ator da Globo pedindo indenização por dano moral. O valor pedido na ação judicial é de R$ 50 mil e o processo corre na 7ª Vara Cível do Foro Regional de Santo Amaro (SP), sob a responsabilidade da juíza Claudia Carneiro Calbucci Renaux.

José de Abreu se autodeclara Presidente do Brasil

Em forma de protesto contra o governo de Jair Bolsonaro, José de Abreu se autoproclamou presidente do Brasil no final de fevereiro, assim como Juan Guaidó fez na Venezuela.

Ele também se inspirou no ator colombiano Alejandro Muñoz, outro que disse que é o presidente da sua nação por vontade própria. “Acabei de me proclamar Presidente do Brasil. Quem me apoia?”, declarou o global no Twitter. No mesmo momento, os termos Zé de Abreu e José de Abreu foram parar nos assuntos mais comentados. “Sou o novo presidente do Brasil! Estou na Grécia e assumo dia 8/3 no Galeão”, disse.

Além disso, o ator falou sobre seu primeiro ato na chefia do executivo. “A partir de hoje eu sou o auto-declarado Presidente do Brasil. Igual fizeram na Venezuela. Lula está nomeado chefe da casa civil, militar e religiosa do Brasil”, escreveu ele, que completou. “Eu, auto declarado Presidente do Brasil, exijo que Lula seja solto para assumir o Ministério dos Justos”.

“Vamos exigir respeito à minha autodeclarada Presidência como estão dando para o venezuelano. Porque ele tem e eu não?”, indagou o artista, em referência a Guaidó. “Outra coisa: Moro será declarado traidor da pátria e terá a mesma sentença que deu a Lula multiplicada por dez. Passará o resto da vida na cadeia fazendo PowerPoint com Dalagnol”, falou ele, que continuou dando seus “decretos”.