A torcida do São Paulo corre o risco de ficar até 39 dias sem ver seu time jogar em 2019. Uma forçada e indesejada intertemporada será inevitável em caso de uma eliminação do Tricolor logo na primeira fase do Campeonato Paulista, algo que passou a assombrar o clube após a derrota para o Palmeiras, no último sábado.

A situação de momento no Grupo D do Paulistão é a seguinte: o São Paulo ocupa o segundo lugar, com 14 pontos, três a menos que o líder Ituano e dois a mais que o Oeste, que perdeu para o Corinthians no domingo – o Botafogo é o lanterna, com oito pontos.

Apesar da má campanha, o Tricolor depende só de si para alcançar as quartas de final. Uma vitória na 12ª e última rodada da primeira fase, diante do São Caetano, na próxima quarta-feira, no Estádio Anacleto Campanella, garante a vaga.

Além do Paulista, o São Paulo tem o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil como torneios restantes em seu calendário neste ano, uma vez que foi eliminado na segunda fase preliminar da Copa Libertadores.

Portanto, se não se classificar às quartas de final do Paulista, o São Paulo só voltaria a campo para uma partida oficial na estreia do Brasileirão. A primeira rodada tem jogos marcados para os dias 27, 28 e 29 de abril. A CBF já definiu os confrontos, mas ainda não confirmou as datas em que eles serão disputados.

Ou seja, se enfrentar o Botafogo em 29 de abril, o Tricolor terá ficado 39 dias sem atuar desde o confronto com o São Caetano. Na Copa do Brasil, o São Paulo irá estrear somente em maio, já pelas oitavas de final.

“Na quarta-feira temos uma partida contra uma equipe que briga contra o rebaixamento. Precisamos provar que somos capazes de classificar e mostrar evolução. Temos que acelerar alguns processos e fazer as escolhas certas, para que a gente possa enfrentar o São Caetano de forma diferente”, disse Mancini.

(Gazeta Esportiva)