Com o registro anual de 10 milhões de novos casos de tuberculose no mundo, levando 1,8 milhão de pessoas ao óbito, a doença continua representando um sério problema de saúde pública. Os dados são da Organização Mundial de Saúde (OMS) e foram apresentados pelo chefe do Núcleo de Controle da Tuberculose, da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), enfermeiro Daniel Sacramento, durante a 6ª edição da Expo Tuberculose, evento promovido anualmente pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

A programação da 6ª edição aconteceu ontem, 19/3, na Escola Estadual Marcantônio Vilaça II, zona Norte de Manaus, e foi realizada em parceria com o Comitê Estadual de Controle da Tuberculose do Amazonas, incluindo Semsa, a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e a Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

De acordo o Daniel Sacramento, o evento é organizado todos os anos com o objetivo de orientar professores e alunos, informando sobre sinais e sintomas da doença, formas de transmissão, diagnóstico e tratamento.

“A incidência da tuberculose em Manaus ainda é considerada elevada. Em 2018, foram registrados 2.333 casos novos da doença, com taxa de incidência de 108,7 por 100 mil habitantes. Para o controle da doença, é essencial que os serviços de saúde continuem a trabalhar no aumento da detecção de novos casos. Assim, com o diagnóstico, será possível tratar o paciente, interrompendo a cadeia de transmissão da tuberculose. Já o trabalho com os estudantes é importante porque eles têm grande capacidade de repassar informações para a família, amigos, colaborando na prevenção”, afirmou Daniel Sacramento.

Para a professora Delta Aparecida Segadilha, coordenadora do Programa de Educação em Saúde na Escola da Seduc, a preocupação com a tuberculose deve ser em todos os setores, já que o Amazonas é o estado que apresenta a maior incidência de tuberculose no Brasil. “Sabemos que a tuberculose atinge todas as faixas etárias e é importante que as crianças, adolescentes, professores e servidores da educação tenham informação para ajudar no combate à doença”, reforçou a professora.

O estudante Lucas Costa, de 16 anos, também destacou a importância da informação para que a população possa proteger a própria saúde. “A minha escola já trabalha o tema da tuberculose junto aos alunos, então sei que é uma doença grave e que pode matar. Mas acredito que o governo precisa aumentar a divulgação sobre a doença para que possa atingir a população de uma forma mais ampla e, assim, evitar novos casos”, ressaltou Lucas Costa.

Campanha

A Semsa iniciou na última segunda-feira, 18/3, a Campanha de Luta Contra a Tuberculose envolvendo a intensificação das ações que são executadas na rotina de serviços das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com busca ativa de pacientes apresentando sintomas de tuberculose, mobilização social e educação em saúde.

Na próxima sexta-feira 22/3, também será realizada uma caminhada para a sensibilização da sociedade, com concentração na Praça da Polícia Militar, a partir das 7h30, no Centro de Manaus. No período de 25 e 29 de março, nos Terminais de Ônibus, ainda serão promovidas ações de educação em saúde, distribuição de folder e oferecimento de teste de escarro.