1ª Feira de Livros do Parque Ponte dos Bilhares reúne mais de 1,5 mil pessoas - Fato Amazônico

1ª Feira de Livros do Parque Ponte dos Bilhares reúne mais de 1,5 mil pessoas

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), levou aproximadamente 1,5 mil pessoas à 1ª Feira de Livros do Parque Ponte dos Bilhares. O evento, iniciado às 17h, teve como principal foco a doação de livros arrecadados durante campanha realizada pelos servidores da Semmas, ao longo de um mês, que arrecadou mais de 1,5 mil volumes, de diferentes áreas do conhecimento. No estande da Doação de livros, cada pessoa teve direito a levar até cinco volumes.

Houve também exposição de livrarias, editoras e escritores, como parte do Projeto Cultura no Parque, idealizado pelo Departamento de Arborização e Paisagismo, da Semmas. O projeto estabeleceu um calendário de eventos e atividades alusivas a datas comemorativas durante todo o ano, para estimular o aumento da frequência no parque e estimular a consciência ambiental dos frequentadores.

A feira foi aberta oficialmente pelo secretário municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Itamar de Oliveira Mar, e contou com a presença da secretária municipal de Educação, Kátia Schweickardt, e da diretora-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Ana Aleixo.

A Semed, uma das instituições parceiras do evento, levou para a Praça da Fogueira, atividades recreativas e lúdicas de incentivo à leitura que animaram a garotada.

O secretário Itamar Mar destacou o grande interesse da população pelos livros e a importância da realização de iniciativas que despertem esse gosto pelo conhecimento e a consciência ambiental. “Com certeza, o evento superou as expectativas e já se incorporou ao nosso calendário de atividades alusivas a datas comemorativas”, afirmou ele.

A feira contou com a participação da coordenação do Programa de Melhoria da Biblioteca Escolar, da Gerência de Atividades Complementares e Programas Especiais (Gacpe) e da Divisão de Ensino Fundamental (DEF), por meio do Projeto Viajando na Leitura, além do Centro Municipal de Arte-Educação (Cmae) Aníbal Beça, da Semed, que participou da programação com a apresentação do Curumim na Lata.

Nos estandes da secretaria aconteceram atividades de trava-línguas com o uso de livros infantis e gibis, a apresentação de ‘Contando e Encantando com Origami’ com a Bruxa Lepap, interpretada pela professora Eli Nelza Soares, da Divisão de Avaliação e Monitoramento (DAM), da Semed; e a contação de histórias voltadas para a preservação ambiental com a Vovó Rufina, interpretada pela professora Maristela Barbosa, da Escola Municipal Maria Rufina de Almeida

A secretária municipal de Educação, Kátia Scheickardt, parabenizou a iniciativa da Semmas e destacou a importância do evento por aliar o incentivo à leitura com a preocupação com o meio ambiente e o envolvimento da família. De acordo com ela, a sociedade tem, cada vez mais, entendido que a educação é uma responsabilidade compartilhada entre o poder público e a família.

“Ver pais, mães, professores trazerem as crianças para ter contato com livros em um parque, para ter momentos lúdicos e de leitura é algo muito especial. Os livros hoje e sempre são o primeiro contato real das crianças com as possibilidades do mundo. Quando a gente aprende a ler, a escrever, a gente passa a se inserir no mundo de outra maneira. Estimular esses momentos de trocas de experiências, mas sobretudo, aproximar as ações da secretaria de Meio Ambiente com as da secretaria de Educação são ações muito importantes”.

O Projeto Vovó Rufina, apresentado durante a feira, é premiado pelo Programa Viajando na Leitura (2012) e nacionalmente com o 2º lugar do Construindo a Nação, do Sesi (2014). De acordo com a professora Maristela Barbosa, o projeto surgiu há cinco anos com o intuito de resgatar a importância do respeito aos mais velhos e estimular a ida à biblioteca escolar e o gosto pela leitura. Foi criado pela gestora da Escola Municipal Maria Rufina de Almeida, Sandra Aguilar.

“O estímulo à leitura é grande na escola. Premiamos com medalhas e brindes os alunos que leem mais livros por ano. O aluno e a aluna vencedores, em 2014, leram mais de 40 livros em um ano e hoje fazem parte do projeto. A cada ano essa iniciativa cresce mais e, neste ano, visitaremos 10 escolas com a Vovó Rufina”.

A administradora Paula Costa, 34, levou a filha de 5 anos para a feira e contou que o evento superou as expectativas. Ela destacou que sempre procura participar de eventos culturais com a família. “Ainda mais um evento que distribui livros gratuitos, que tem atividades que estimulam o interesse pela leitura. Minha filha está aprendendo a ler e ficou encantada me contando tudo que aprendeu. A prefeitura está de parabéns, espero que tenham outras edições".

A estudante Aline Cristina Rodrigues Cordeiro, 16, foi a primeira de grande fila que se formou no estande de doação de livros da Semmas. Ela considerou a feira uma excelente oportunidade de interação. “Eventos como esse acontecendo num parque são uma forma prática de estímulo à leitura e seria ótimo se acontecesse mais vezes, pois sempre estarei presente”, afirmou a estudante, que reside no bairro São Jorge e cursa o terceiro ano do ensino médio.

A feira também despertou o interesse de professores, que compareceram ao evento na companhia de alunos, como é o caso das professoras Samia Castro e Ednelza Falcão, do curso de Administração do Uninorte, e de Rubia Lemos, da rede municipal de ensino. “Cobro sempre dos meus alunos que dispensem também um pouco de tempo para a leitura, deixando de lado o tablet e a internet que trazem conteúdos prontos e quase sempre são impressos sem que o aluno sequer pare para ler”, lembrou Rúbia, que parabenizou a Prefeitura de Manaus pela iniciativa da feira.

O evento contou com a participação das escritoras Alessandra Leite e Ana Peixoto, duas bibliotecas móveis (do Ipaam e do Sesc Amazonas), recreadores da Fundação Municipal de Cultura Turismo e Eventos (Manauscult), responsável pela gestão da Biblioteca do Sesi em funcionamento no Parque dos Bilhares, companhias de dança, jogos recretivos realizados por alunos da Faculdade Estácio Amazonas, distribuição de mudas, exposição de reaproveitamento de resíduos sólidos e recitais de poesias.