3º Encontro dos Feras vai movimentar a Arena da Amazônia com aulão de ritmos nesta sexta-feira, dia 18 - Fato Amazônico

3º Encontro dos Feras vai movimentar a Arena da Amazônia com aulão de ritmos nesta sexta-feira, dia 18

O Pódio da Arena da Amazônia vai ser palco de um grande aulão de ritmos e sons que prometem espantar a preguiça e o sedentarismo. Trata-se do 3º Encontro dos Feras, que vai reunir mais de 10 professores de dança e ainda vai contar com uma presença especial: Hudson Praia, ex-dançarino do grupo Carrapicho, que em mais de quatro anos de aulões de dança já arrastou mais de 200 mil pessoas pelas ruas e pontos turísticos de Manaus.  Com o apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), a ação será realizada nesta sexta-feira, dia 18, a partir das 18h30. A entrada será uma lata de leite em pó.

“Vai ser a terceira edição do evento depois de dois realizados na quadra do Alvorada. Para esse, conseguimos essa parceria com a Sejel e vamos utilizar a Arena da Amazônia. Teremos 14 professores participando e um DJ que vai fazer uma brincadeira com os participantes da aula, será muito animado. Com esse evento, queremos levar qualidade de vida e entretenimento, além da parte social, onde vamos arrecadar lata de leite para darmos para uma instituição de caridade”, explicou o organizador e dançarino, Hudson Praia.

Experiente e com mais de 23 anos dedicado à dança no Amazonas, Hudson espera atingir um público recorde de participantes. “Sempre temos uma média de 500 pessoas nesse mix de ritmos e esperamos mais. Vamos ter músicas brasileiras, zumba, pop, sertanejo, uma variação de ritmos. Vamos ter de tudo. É uma reunião de vários projetos (de aulões) da cidade e ainda vamos ter sorteios e brindes para quem for ao evento”, disse.

Dança que ajuda

Quem pensa que as aulas de dança são apenas para perder uns quilinhos enga-se. De acordo com Hudson, ao longo dos quatro anos de projeto, muitas pessoas foram auxiliadas para o tratamento de inúmeras doenças e transtornos psicológicos.

“Tudo começou com uma brincadeira e o projeto foi crescendo e ajudando várias pessoas. Conseguimos tirar essas pessoas da depressão, da síndrome do pânico, fizemos as pessoas socializar com as outra, tínhamos pessoas que eram tímidas e o projeto foi fazendo tudo isso. Há quatro anos é assim; com aulas no Parque Jeferson Peres, Ponta Negra e outros locais da cidade com mais de 400 alunos. Com a Arena, o evento só tem a crescer. A Arena é um ponto turístico bonito, é de fácil acesso para todas as pessoas e será um sucesso”, garantiu.

Inscrição

Para participar do evento, os interessamos vão ter três formas para movimentar – e muito – o esqueleto: através da compra da camisa personalizada do evento no valor de R$ 25 com direito a ficar em frente ao palco; pulseira no valor de R$ 10, e a doação de uma lata de leite ninho. Qualquer uma das opções, será diversão garantida.