5 coisas que os Advogados deveriam saber sobre Mídias Sociais - Fato Amazônico

5 coisas que os Advogados deveriam saber sobre Mídias Sociais

As Mídias Sociais referem-se à uma mudança em como as pessoas descobrem, lêem e compartilham notícias, informação e conteúdo. É uma fusão de sociologia e tecnologia, transformando monólogos (de uma para muitos) em diálogos (muitos para muitos) e é a democratização da informação, transformando leitores em editores que publicam conteúdo. As Mídias Sociais tornaram-se extremamente populares porque permitem que as pessoas conectem-se ao mundo on-line para formar redes de contatos para uso pessoal, político e empresarial. As empresas também se referem às mídias sociais como conteúdo gerado pelo usuário (CGU) ou mídia gerada pelo consumidor “(MGC) -Fonte, Wikipedia.

A interatividade online agora é algo comum. Sites para networking , incluindo o Facebook, o LinkedIn e Twitter, estão se tornando cada vez mais relevantes e importantes. Oportunidades para advogados se conectarem e interagirem com clientes em potencial são infinitas.

Antes de se jogar nas mídias sociais, temos algumas poucas coisas importantes sobre os meios de comunicação social que os advogados devem compreender. Alguns erros podem resultar em tentativas fracassadas e decepcionante no mercado on-line.

Mídias Sociais são inúteis sem metas

Faz parte do seu objetivo aparecer mais em resultados de pesquisas de buscadores, mostrar uma área específica de atuação, ou interagir com outros advogados na sua área de especialização? Gostaria de obter clientes em âmbito local ou nacional?

As respostas a essas perguntas afetarão a sua estratégia global de Mídia Social.

Procure saber mais sobre mídias sociais. Descubra como funcionam e como elas podem trabalhar para você.

Em seguida, implemente uma estratégia de mídia social que promova seus objetivos. Seja paciente. Resultados não ocorrem da noite pro dia.

Cada Rede Social serve para propósitos diferentes

A empresa toda precisa participar ativamente em Redes Sociais, mas alguns advogados devem estar familiarizados com as novas tecnologias da Web 2.0 e as formas nas quais essas tecnologias podem ajudar e/ou prejudicar os resultados de uma empresa.

No mínimo, todos os membros de uma empresa devem ter perfis online, que incluem suas áreas de prática no LinkedIn (já comentamos do Linkedin em outro post, confira aqui), Justia e Avvo (estes dois últimos utilizados no exterior). É-gratuita a criação de perfis nesses sites, e isso permite que você pegue uma carona no (search engine optimization) SEO de sites renomados.

O Facebook é uma outra rede social a se considerar. Ele permite que os advogados consigam se “re-conectar” com as pessoas que perderam contato com, abrindo também toda uma rede de clientes potenciais e referências.

Se um advogado gosta de escrever e é apaixonado por uma determinada área do direito, o blog é a maneira perfeita para mostrar a experiência do advogado e habilidades de escrita e, simultaneamente, aumentar o SEO (devido à algumas características únicas de blogs), além de humanizar o advogado.

O Twitter é ideal para advogados que buscam expandir sua rede, aumentar a sua exposição e contato com pessoas influentes em todas as áreas de mercado.

Os advogados não têm de participar de todas as formas de interação online, mas de uma maneira ou de outra, devem participar e garantir que os meios de comunicação social escolhidos promovam os objetivos globais da empresa.

“Mídia Social” é um termo impróprio

Alguns advogados não dão a devida atenção ao potencial das “mídias sociais”, devido à suposição errônea de que não tem nada a ver com negócios e tem tudo a ver com socialização. Este é um grave erro.

Todas as interações online, sejam elas com outros advogados, velhos amigos, ou pessoas que você acabou de conhecer e com quem compartilham um interesse similar têm o potencial de promover a sua carreira.

Networking Social e Profissional não coincidem necessariamente. Os interesses de uma pessoa não são limitados à sua profissão, salvo se, naturalmente, a pessoa é um ser humano inacreditavelmente chato e entediante.

Pessoas são mais que suas carreiras. Advogados são mais do que seus escritórios. O que me traz a meu ponto seguinte:

Pessoas querem contratar pessoas, não negócios

Embora seja importante ter um site estático para o seu negócio (a grande maioria dos escritórios de advocacia ainda utiliza este tipo de site), é igualmente importante para os advogados, cultivarem sua presença on-line individual.

A melhor maneira de fazer isso é tirar a sua gravata de “advogado “. Converse com as pessoas, não haja de forma unilateral. Interaja com os clientes, não fique somente anunciando serviços. E, mais importante de tudo, compartilhe um pouco sobre si e seus interesses.

É a sobreposição entre o social e o profissional que faz um advogado mais agradável, mais acessível e mais humano.

As pessoas querem pegar o telefone e ligar para uma pessoa específica, não umaentidade, intimidando sem rosto – quando têm um problema. As grandes empresas de aluguer escritórios de advocacia, pessoas contratar outras pessoas.

As pessoas querem pegar o telefone e ligar para uma pessoa específica, não um indivíduo intimidador e sem rosto – quando possuem algum problema. As empresas contratam escritórios de advocacia, pessoas contratam outras pessoas.

Advogados não podem se dar ao luxo de ficar de fora

Advogados que utilizar as redes sociais com sucesso para se comunicar, colaborar e para se relacionar tem uma grande vantagem sobre os demais.

Destaque-se da multidão. Utilize os recursos digitais para a sua vantagem competitiva. Aproveite a oportunidade de interagir com potenciais clientes e profissionais relevantes na sua área.

Seja paciente, persistente e positivo. Use a mídia social com sabedoria e adeque aos poucos suas atividades on-line para buscar metas específicas.

Siga o meu conselho e você vai visualizar os resultados.