9º Distrito Naval utiliza tecnologia na Operação Ágata 8 das Forças Armadas - Fato Amazônico

9º Distrito Naval utiliza tecnologia na Operação Ágata 8 das Forças Armadas

A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval, disponibilizou 936 militares, 4 Navios-Patrulha Fluvial, 4 Navios de Assistência Hospitalar, 4 helicópteros, 26 lanchas e 2 Lancha Patrulha de Rio para atuarem na Operação “Ágata 8”, que iniciou no último sábado (10). Além de reforçar a segurança, as equipes oferecem ações civis e sociais, como atendimento médico-odontológico. Três municípios do Amazonas devem ser visitados pela ação: Careiro 10 a 12 e Barcelos entre 15 e 17 e Manacapuru 19 a 21

Durante a operação, estão sendo realizadas Patrulhas Navais, Inspeções Navais e ações de Assistência Hospitalar e intensificadas as fiscalizações da segurança do tráfego aquaviário. Os moradores dos municípios de Careiro da Várzea, Barcelos e Manacapuru são contemplados com as ações de assistência médica e odontológica desenvolvidas pelos Navios de Assistência Hospitalar (NAsH).

Nas ações de segurança, dentre as inovações tecnológicas e operativas que a Marinha fará uso nesta edição da operação estão os navios com comunicação satelital; Lanchas de Patrulha de Rio blindadas e com câmaras térmicas; Inspeções Navais utilizando óculos de visão noturna; o embarque do Núcleo Regional de Inteligência do Sinal do Comando Militar da Amazônia (NuCRIS-CMA) e a utilização de cães de faro nos meios navais.

Ao todo, 16 órgãos públicos participam da operação e estarão embarcados em navios do Com9oDN, são eles: a Polícia Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Polícia Ambiental da PM de Rondônia, Defesa Civil, Conselho Tutelar, Receita Federal, Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Polícia Civil do Amazonas, Polícia Militar do Amazonas, Corpo de Bombeiros do Amazonas, Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (ADAF), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais (Sematur) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).

A operação Ágata é desenvolvida pelas Forças Armadas e prevê ações de segurança em toda a extensão da fronteira brasileira com os dez países sul-americanos, o equivalente a 16.886 quilômetros. Os militares irão atuar no combate a crimes transfronteiriços como narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, contrabando de veículos, imigração e garimpo ilegais.

Em função da Copa do Mundo de 2014, o Ministério da Defesa optou por uma mobilização que envolvesse toda a faixa de fronteira terrestre, assim como ocorreu na “Ágata 7”, devido a Copa das Confederações, na época.

Sobre a Operação Ágata

Este ano, a operação conta com 30 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. A Ágata é a maior mobilização realizada pelo Estado no combate aos ilícitos de Norte a Sul do país, entre Oiapoque (AP) e Chuí (RS).

A ação é parte do Plano Estratégico de Fronteiras (PEF), criado por decreto da presidenta Dilma Rousseff, em junho de 2011. Acontece sob a coordenação do Ministério da Defesa e comando do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA).

Em dois anos, o Ministério da Defesa, por meio do EMCFA, já realizou sete edições da Operação Ágata. Os estados de fronteira são: Amapá, Pará, Roraima, Amazonas, Acre, Rondônia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os países vizinhos são: Guiana Francesa, Guiana, Suriname, Venezuela, Colômbia, Bolívia, Peru, Paraguai, Argentina e Uruguai.

Além do combate aos ilícitos, a Ágata contempla também Ações Cívico-Sociais (Acisos), que consistem em atividades como atendimento médico, odontológico e hospitalar aos locais onde concentram famílias carentes. De acordo com o balanço integrado, as sete edições da Ágata resultaram em mais de 280 mil procedimentos de saúde, 57.698 atendimentos médicos e 55.230 odontológicos. Cerca de 9 mil pessoas foram vacinadas e distribuídos 219.003 medicamentos.