Abdala Fraxe diz que não admitirá pirotecnia política nos trabalhos da CPI da Pedofilia da Assembleia - Fato Amazônico

Abdala Fraxe diz que não admitirá pirotecnia política nos trabalhos da CPI da Pedofilia da Assembleia

Com a frase “pirotecnia zero; trabalho técnico 100”, o deputado Abdala Fraxe (PTN), indicado como presidente da CPI da Pedofilia instalada nesta quarta-feira (9) na Assembleia Legislativa do Amazonas, definiu que a comissão criada para investigar denúncias de pedofilia “de forma abrangente” em todo o Estado do Amazonas, não será usada para propósitos eleitorais de qualquer de seus membros ou de grupos políticos.

O deputado, que foi indicado pela bancada da maioria para compor a CPI e escolhido presidente com a aprovação da maioria dos deputados presentes à reunião para a escolha dos seus membros, disse que não haverá nenhum problema na condução dos trabalhos, uma vez que cada um sabe de suas responsabilidades e vai agir em nome do Poder Legislativo.

De acordo com o presidente, já nesta quinta-feira a comissão fará a sua primeira reunião para discutir e propor o cronograma de trabalho e definir os primeiros passos que a comissão vai tomar. O deputado lembrou que a CPI foi feita para atender o Amazonas inteiro e “vai fazer o que tiver que ser feito e investigar quem tiver de ser investigado”.

CPI instalada

O presidente da Asssembleia Legislativa, deputado Josué Neto (PSD), anunciou em reunião extraordinária a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito que vai investigar os crimes de exploração sexual de menores e pedofilia em todos municípios do Amazonas, após de dois dias de discussões em torno do assunto.

A reunião que definiu a composição, a abrangência e a instalação contou com a participação de 18 deputados.

Foram indicados para compor a CPI como membros titulares os deputados Abdala Fraxe (PTN), também escolhido presidente; Orlando Cidade (PTN), escolhido relator; Ricardo Nicolau (PSD), Conceição Sampaio (PP) e Luiz Castro (PPS) são membros titulares e David Almeida (PSD), Tony Medeiros (PSL), José Ricardo (PT) e Vera Castelo Branco (PTB), suplentes.

Ao anunciar os nomes, o presidente Josué Neto disse que esta definição foi tomada por todos os deputados que estavam presentes na reunião. Da mesma forma que funcionam as 23 comissões técnicas da casa, a CPI foi constituída atendendo o mesmo princípio de proporcionalidade adotado em todas as casas legislativas.

A CPI da Pedofilia já começa a funcionar nesta quinta-feira (10), com a primeira reunião para organizar um cronograma de trabalho e o início das investigações