David disse que o parecer do MP mostra que todas as tentativas de membros do atual governo, de macular a sua administração, não passam de mentiras
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministério Público do Estado do Amazonas, (MPE-AM), conforme parecer do promotor Elvys de Paula Freitas, assinado no dia 24 deste mês, julgou improcedente a ação popular de autoria do vice-governador licenciado, Bosco Saraiva, que pedia suspensão de atos do então governador em exercício, David Almeida.

De acordo com informações contidas no processo nº 0631838-28.2017.8.04.0001, o então governador teria realizado despesas exorbitante, reconhecidas, inclusive, pelo Tribunal de Contas do Estado.

“O Ministério Público pugna pela extinção parcial do feito, por falta de interesse de agir, tendo em conta o fim do mandato interino. Quanto ao pedido de anulação das despesas constantes em planilhas manifesta-se pela improcedência da demanda”.

Sobre a decisão do Ministério Público, David Almeida declarou que todas as tentativas do atual governo de macular a sua administração  foram ardilosamente arquitetadas pelo capricho insano e arrivista de seus adversários de afastá-lo de um possível disputa à sucessão estadual

“Os órgãos de controle estão atestando a lisura dos meus atos, enquanto governador interino do Amazonas, em 2017, jogando por terra todas as argumentações do governo que tenta manchar a minha imagem, macular a minha administração. O parecer do Ministério Público prova que, tudo o que eu fiz quando governador foi legal e autêntico”, disse o David.

Veja a decisão na íntegra


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •