Acessibilidade a deficientes e humanização viram metas na Comissão de Ciência e Tecnologia - Fato Amazônico

Acessibilidade a deficientes e humanização viram metas na Comissão de Ciência e Tecnologia

O Senador Omar Aziz propôs, durante reunião da Comissão de Ciência e Tecnologia, na qual é membro titular, trazer associações de pessoas com deficiência para discutir sobre projetos na área. O Senador Cristóvam Buarque (PDT/DF), presidente da Comissão, elogiou a proposição e destacou que a atuação de Omar tem humanizado a Casa.

Para o líder do PSD no Senado, trazer a Secretaria de Direitos Humanos para a discussão pode contribuir para o debate das propostas,. “Como Senadores e Deputados, chegamos aqui e fazemos uma proposta achando que estamos inventando a roda, e, muitas vezes, ela não tem nenhum tipo de utilidade para aquelas pessoas que realmente precisam. A Comissão da Ciência e Tecnologia capitania hoje qualquer coisa: capitania uma guerra, capitania uma cirurgia dentro do hospital e pode capitanear também a vida e melhorar a qualidade de vida dessas pessoas”, ressaltou Omar.

O Senador do Amazonas destacou ainda que esta é uma pauta importante para mais de 15% da população brasileira. Omar emocionou os outros parlamentares quando revelou que sua experiência pessoal incentivou a criação de um dos maiores programas sociais da história do Brasil, o Viver Melhor.

“Fiz um programa de acessibilidade, como Governador, no qual eu entrava na casa de uma pessoa com deficiência, para reformá-la e equipá-la toda. Fiz alguns milhares de casas assim, no meu Estado, porque eu tive uma filha que faleceu com 17 anos e era portadora de um tipo de deficiência. Eu tinha condições de ajudar essa minha filha. Deus tinha me proporcionado condições de ajudar, mas imaginem milhares e milhares de famílias que não têm as condições que eu tive para ajudar a minha filha. Então, coloco-me no lugar desses pais e dessas mães”, afirmou.

“Imagine uma mãe passar 15, 20 anos cuidando de um portador de deficiência. Essa mãe não tem direito de ir a uma festa, não tem direito de ir a um aniversário, não tem direito de ir a um casamento, não tem direito a absolutamente nada; ela tem uma missão, criar filho não é sacrifício, mas as pessoas têm uma missão, e os Estados brasileiros fazem de conta que não existe esse tipo de problema. Esse tipo de problema está escondido em um quarto, nos fundos da casa”, completou o Senador.

Discurso elogiado

O Senador Cristóvam Buarque foi um dos que elogiaram o discurso de Omar Aziz e garantiu que a sugestão vai se tornar um requerimento para uma audiência.

“Meu Relatório ficou bem pequenininho, diante da grandeza da sua fala. Mas eu fico entusiasmado porque o senhor humanizou a ciência e a tecnologia, porque, em geral, a gente a trata como uma coisa dura, da economia. Vou falar com o Senador Paim para fazermos junto com a Comissão de Direitos Humanos, para ver o que é que a comunidade portadora de deficiência quer da Comissão de Ciência, Tecnologia, porque hoje deficiência física de qualquer ser humano é uma questão de conhecimento, ou seja, ciência e tecnologia”, prometeu Cristóvam.

Quem também elogiou o alto nível do debate na Comissão foi o Senador Hélio José. “Como eu participo da Comissão de Direitos Humanos e faço parte aqui da Comissão de Ciência e Tecnologia, vale a pena essa integração. Acho de altíssima relevância o colocado tanto pelo Senador Cristóvão Buarque quanto pelo Senador Omar Aziz”, finalizou o parlamentar do Distrito Federal.

Ciência Sem Fronteiras

Ainda durante a reunião da Comissão, o Senador Omar Aziz recebeu a incumbência de avaliar, durante todo este ano, a política pública de formação de Recursos Humanos para Ciência,Tecnologia e Inovação, com especial enfoque para o Programa Ciência Sem Fronteiras. A ideia é dar mais transparência e aprimorar o programa.