A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal do Centro (SEMC), levou as ações de requalificação e revitalização do Projeto Viva Centro à Praça da Saudade. O local é um importante patrimônio histórico-cultural da cidade e terá suas calçadas, jardins, bancos e monumentos recuperados por meio de uma ação conjunta que envolve oito secretarias municipais. Nesta sexta-feira, 17, entre 8h30 e 12h, os trabalhos de revitalização serão concluídos no local.

O destaque dos trabalhos é a remoção de pichações do monumento que representa o primeiro presidente da Província do Amazonas, João Baptista de Figueiredo Tenreiro Aranha. As ações desta edição do Viva Centro na praça tiveram início no dia 13.

O local foi revitalizado e entregue em 2010 e desde lá não passou por nenhum outro processo de revitalização e manutenção. Segundo o secretário da SEMC, Rafael Assayag, as ações do Viva Centro servirão para sensibilizar a população na defesa e zelo aPraça da Saudade, já que ela faz parte história da cidade.

A SEMC fez o levantamento dos problemas emergenciais e acionou as demais secretarias. A ação conta com apoio das lojas Art Pedras e Instrumental Técnico que doaram alguns dos materiais para revitalização da praça.

“A Praça da Saudade estava abandonada desde a sua última recuperação. Desde lá, não houve manutenção. É necessário ter carinho por aquela praça porque ela tem uma representação importante para a história da cidade de Manaus. Várias secretarias se reuniram para realizar os serviços nessa praça, que sofre constantemente com ações de vandalismo. A ideia é mostrar mais uma ação de carinho e amor pela cidade. Queremos mostrar também que estamos do lado dos que querem a cidade limpa, dos que querem bem a cidade”, disse o secretário.

Ainda nesta sexta-feira será finalizada a pintura das colunas, bancos, lanches, cabines telefônicas e meio-fio pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf). Agentes da Secretaria Municipal de Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp) farão o serviço de jardinagem e lavagem da praça. Os Garis da Alegria também estarão em ação para sensibilizar o público da praça sobre a importância de conservação e limpeza dos espaços públicos.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) finalizará a reposição de plantas nos jardins e distribuirá 300 mudas de espécies frutíferas e ornamentais aos que passarem pela praça durante esta edição do Viva Centro. O Instituto Municipal de Ordem Social e Planejamento Urbano (Implurb) vai atuar na despoluição visual dos lanches. A Guarda Civil Metropolitana e a Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) também participam desta ação.

As equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) encaminharam três moradores de rua que dormiam nos banco das praças para o Centro de Referência Especializada em Assistência Social para População em Situação de Rua (Centro POP), localizado na Rua Silva Ramos.

A praça

A Praça da Saudade possui aproximadamente 12,6 mil metros quadrados e está localizada entre as ruas Epaminondas, Ramos Ferreira, Ferreira Pena e Simão Bolívar. Ela foi inaugurada em 1865 e inicialmente era conhecida como Largo da Saudade. Antes, seus limites eram com o Instituto de Educação do Amazonas (IEA) e o Cemitério São José, onde hoje se encontra o Rio Negro Clube. Passou à denominação de praça em 1897, mas só em 1932 foram construídos os jardins e passeios.

O monumento

João Baptista de Figueiredo Tenreiro Aranha (1798-1861) foi deputado pelo Pará e foi quem solicitou a criação da Província do Amazonas, tornando-se em seguida o seu primeiro presidente.

O monumento dele é uma peça em bronze, de aproximadamente dois metros de altura, com base em granito. Foi trazido da Itália e montado em 1907 na antiga Praça Tamandaré (hoje Praça Adalberto Vale, mas conhecida como Praça Tenreiro Aranha). Foi transferido para a Praça da Saudade em 1932. É uma obra do final do período áureo da borracha.