Acompanhamento do Bolsa Família é prorrogado até dia 12 de janeiro - Fato Amazônico




Acompanhamento do Bolsa Família é prorrogado até dia 12 de janeiro

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) informa que o acompanhamento das condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família (PBF) foi prorrogado até o dia 12 de janeiro. A prorrogação foi determinada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) com o objetivo de atender famílias que ainda não realizaram o acompanhamento na vigência do segundo semestre de 2013. Atualmente, a Semsa tem cadastrado um total de 113 mil famílias no programa, sendo que 57.359 realizaram o acompanhamento da segunda vigência, que seria encerrada dia 30 de dezembro.

A coordenadora operacional das Ações de Nutrição da Semsa, nutricionista Tânia Maria Carvalho Batista, explica que o acompanhamento das condicionalidades de saúde consiste na verificação, por meio de profissionais de saúde, do cartão de vacina e do crescimento e desenvolvimento das crianças menores de sete anos, e no acompanhamento da saúde das mulheres na faixa etária de 14 a 44 anos, bem como das mulheres gestantes, garantindo a saúde da mãe e do bebê. “Quando são incluídas no programa, as famílias assumem o compromisso de manter cuidados adequados com a saúde das crianças e das mulheres. Também é feita a inclusão em programas como o planejamento familiar e de avaliação nutricional. O acompanhamento deve ser feito duas vezes ao ano, no primeiro e no segundo semestre. Caso o acompanhamento não seja feito, o benefício financeiro pode ser suspenso”, informa Tânia Batista.

Para realizar o acompanhamento, é importante que as famílias não esqueçam de levar o cartão do programa, com identificação do NIS, cartão de vacinação ou cartão de gestante. O público-alvo do acompanhamento são as crianças menores de sete anos de idade, cujos pais ou responsáveis sejam beneficiários do programa; as mulheres na faixa etária de 14 a 44 anos, incluindo as gestantes, que recebam o auxílio financeiro do Governo Federal.

O PBF é destinado às famílias em situação de extrema pobreza e com renda per capita de até R$ 140,00.“O mais importante é a maior adesão das crianças e mulheres nos programas de prevenção e promoção à saúde. No caso das gestantes, por exemplo, ampliamos de 600 para 2 mil o número de mulheres incluídas no programa de benefício variável para gestantes, que destina recursos ao transporte para a realização do pré-natal e custeio de uma melhor alimentação durante a gravidez”, destaca Tânia Batista.