Acusado de crime de pistolagem é preso por policiais da Homicídios e Sequestros - Fato Amazônico

Acusado de crime de pistolagem é preso por policiais da Homicídios e Sequestros

O foragido da Justiça amazonense e do Ceará, acusado de crimes de pistolagem, Francisco Wagner Xavier Molta, 36, conhecido como “Louro”, foi preso na última terça-feira no Porto Demetrio, situado no bairro Educandos, Zona Sul de Manaus, por investigadores da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Ao ser abordado pelos policiais ele apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com a nome de Ricardo Isac Aguiar Ibiapina, mas acabou preso.

Francisco foi preso em cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido no dia 21 de janeiro do ano passado pela juíza Margareth Rose Cruz Hoagen, da Comarca de Boa Vista do Ramos, município distante 271 quilômetros em linha reta da capital.

O acusado de homicídio estava foragido da 46ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), situada em Boa Vista do Ramos, desde 1º do mês. “Francisco foi preso no dia 22 de janeiro deste ano, após atingir um homem identificado como Afrânio Ribeiro com um tiro nas costas, depois de um desentendimento”, disse o delegado Ivo Martins, que coordenou a prisão.

Além do crime cometido no interior do Amazonas, o delegado enfatizou que Francisco estava sendo procurado por homicídio consumado praticado no estado do Ceará, de onde ele também fugiu. No momento da prisão, “Louro” ainda apresentou um documento falso de identificação, tentando se passar por outra pessoa.

Durante revista na casa onde ele morava, na zona Sul da cidade, os policiais civis apreenderam uma espingarda calibre 22, oito munições de calibre 22, dez munições calibre 380, uma carteira falsa de identidade, além de uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) em nome de Ricardo Isac Aguiar Ibiapina.

Conforme o delegado Ivo Martins, o trabalho de investigação constatou que “Louro” trabalhava como pistoleiro para uma facção criminosa que atua em Manaus. “Ele estava morando com a família em Manaus e já tinha, inclusive, comprado um ônibus para tentar driblar a polícia, passando a imagem de trabalhador honesto”, disse.