Acusado de envolvimento na morte de professor na Zona Leste é preso - Fato Amazônico

Acusado de envolvimento na morte de professor na Zona Leste é preso

Policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prenderam ontem (8), por volta das 8h, o ajudante de caminhão Victor Nascimento de Souza, 20, em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido no dia 16 de março deste ano, pelo juiz da 3ª Vara do Tribunal do Júri, Mauro Moraes Antony.

De acordo com os policiais civis, o ajudante de caminhão é considerado um dos participantes do homicídio do professor Wladimir Uchoa Lima, ocorrido na madrugada do dia 26 de janeiro do ano corrente, por volta das 1h30, nas proximidades da bola do bairro Armando Mendes, na zona Leste de Manaus.

Já em estágio de putrefação, o corpo do educador, que tinha 34 anos, foi encontrado por populares, dentro do carro dele, um Fiat Uno, de cor preta e placas NOZ-1930, na manhã do dia 28 de janeiro, por volta das 9h30, na Rua Jerusalém do bairro Mauazinho, naquela mesma zona da capital onde aconteceu o crime.

Victor recebeu voz de prisão no momento em que estava na sede da DEHS, situada na Avenida Autaz Mirim, bairro Jorge Teixeira, prestando esclarecimentos em torno do caso. Durante coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje, dia 9, na sede da unidade policial, o delegado Ivo Martins revelou detalhes das investigações que culminou na prisão do jovem.

“Victor e outros dois homens identificados como Julianderson Castro Lima e Marcos Paulo Souza da Silva estavam em uma parada de ônibus localizada nas proximidades da Bola do Produtor, na zona Leste da capital, esperando um coletivo para irem ao bairro Mauazinho quando o professor ofereceu carona para o trio. Durante o trajeto, perto da bola do bairro Armando Mendes, o professor, que era homossexual, teria tentado manter relações sexuais com um deles. Essa teria sido a motivação do crime”, declarou Ivo Martins.

A autoridade policial informou que Victor afirmou em depoimento que Julianderson teria enforcado a vítima, enquanto “Marquinho” segurava a vítima pelos pés. Após aproximadamente 45 minutos Wladimir veio a óbito. Em seguida, o trio teria colocado o corpo da vítima no banco de trás do veículo, no bairro Mauazinho.

“O caso está elucidado, apesar de Victor negar envolvimento no crime. Para nós está claro que ele participou da morte do professor Wladimir. Desde o momento do fato a DEHS investigou e hoje estamos dando uma resposta para a sociedade e à família da vítima”, argumento o titular da DEHS.

Ivo Martins ressaltou ainda que Julianderson já está preso, por furto e falsa identidade, e que já está representando o pedido de prisão dele nesse processo. O delegado disse que Julianderson já havia sido ouvido na condição de testemunha nesse caso, já que ele estava em posse do celular da vítima. Já “Marquinho”, que apesar de atualmente ter alcançado a maior de idade, foi levada em consideração a idade que ele tinha no dia crime.

“Agora Marcos Paulo será ouvido e as peças serão encaminhadas à Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), uma vez que na ocasião do delito ele tinha 17 anos”, disse Martins.