O deputado Adjuto Afonso (PDT) evidenciou na segunda-feira, 25, no Plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a participação da mulher e do jovem na política brasileira. O parlamentar ressaltou como exemplo a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), sua colega de partido, sexta candidata mais votada no Estado de São Paulo, com 264.450 votos, nas eleições de 2018, com apenas 25 anos.

O deputado pediu que fosse veiculado um vídeo do primeiro pronunciamento da deputada federal. “É muita responsabilidade ser eleita com 25 anos, mas também uma grande oportunidade de pela primeira vez poder realmente atuar sobre aquelas pautas que tanto me incomodaram e que tanto me movem”, diz a parlamentar. 

O pronunciamento segue com um relato característico da realidade das cidades brasileiras, mas com um final diferente das manchetes diarias nos veículos de comunicação. 

“Eu venho da periferia de São Paulo, com muito orgulho, sou filha de cobrador de ônibus, de bordadeira e diarista. Cheguei aqui porque uma professora com as Olimpíadas de Matemática acreditou que eu também poderia estudar. Alguns professores pagaram meu almoço, minhas roupas, algumas pessoas me disseram que eu também poderia fazer faculdade, mesmo que meus pais não tenham terminado o ensino médio”, relata a deputada.

Ativista pela educação brasileira, ela fala como a educação transformou sua vida. “Eu chego aqui porque eu não só vivi tudo que a educação pode fazer com a gente, todo o potencial que ela tem em transformar, mas porque eu também vivi o outro lado da desigualdade. Perdi meu pai para as drogas, perdi amigos, vizinhos pra violência e o crime. Me tornei uma ativista não porque parecia interessante, eu fui feita uma ativista, porque eu ouvi a importância da educação, mas eu também vi a falta que ela faz, principalmente nas periferias”, revela a parlamentar.         

Ainda no ensino médio, Tabata Amaral participou pela primeira vez da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) e, em 2005, foi medalhista de prata. Seu bom desempenho lhe rendeu uma bolsa de estudos no Colégio Etapa, referência nacional em alunos aprovados em exames, como o Enem. Em 2006, conquistou a medalha de outro na OBMEP e nos anos seguintes representou o Brasil em olimpíadas internacionais de química, astronomia e astrofísica.

No ano de 2012, a futura parlamentar conseguiu aprovação em seis universidades dos Estados Unidos (EUA), com oferta de bolsa integral para todas. As universidades foram: Harvard, Yale, Columbia, Princeton, Pensilvânia e Caltech, além da aprovação no vestibular da Universidade de São Paulo (USP).

A deputada federal Tabata é formada em Ciências Políticas e Astrofísica pela Universidade de Harvard.