Adversários tentaram isolar Eduardo Braga, mas senador já tem o PTB e fecha em breve com PDT, PT e PC do B - Fato Amazônico

Adversários tentaram isolar Eduardo Braga, mas senador já tem o PTB e fecha em breve com PDT, PT e PC do B

A tentativa dos adversários políticos do senador Eduardo Braga (PMDB) de deixá-lo isolado, em sua pré-candidatura ao governo do estado, não deu certo. Articulado, o ex-governador já conseguiu oficialmente o apoio do PTB, do deputado federal Sabino Castelo Branco e nas próximas horas deverá fechar com o PDT, do ex-prefeito Amazonino Mendes, PT, de Sinésio Campos, João Pedro e Valdemir Santana e o PC do B, de Vanessa Grazziotin e Eron Bezerra, que está deixando a decisão para as convenções eleitorais de junho, mas o partido já teve reunião com o senador.

Outros partidos, que também devem marchar com Eduardo Braga, em sua campanha para voltar ao governo do estado, serão o PRP e o PRB da Igreja Universal, além do PSL, do vereador Massami Miki e o PSC, do deputado estadual Francisco Souza.

Ainda é cedo para especulações, mas até o PSD, de Omar Aziz, que muitos falam estar fechado com José Melo (PROS), porem, nos discurso o ex-governador continua afirmando que tem um grupo e esse é quem decidiria, poderá acabar no colo de Eduardo Braga. Na visita a Manaus, no final de semana, o presidente nacional do partido Gilberto Kassab, liberou o Amazonas para formar aliança com quem quisesse.

O cenário político no Amazonas, para a eleição majoritária deste ano, ainda está longe de uma definição. São muitos candidatos com uma única intenção, a de reeleger a presidente Dilma Rousseff (PT).

Artur é o único do outro lado

Neste quadro, que ainda está sendo pintado, apenas o prefeito de Manaus, Artur Neto (PSDB), que marcha com Aécio Neves, pré-candidato a presidência da república, está do outro lado.

Mas Artur Neto, nessas eleições tem um propósito, eleger Artur Bisneto, para a Câmara Federal. E ainda tem outro fator determinante da decisão de que lado marcharão os tucanos na eleição majoritária no Amazonas, a prefeitura de Manaus em 2016.

Artur, já descartou apoio a seu vice-prefeito Hissa Abrahão, que foi exonerado pelo prefeito da Secretaria de Obras, ao anunciar ser pré-candidato ao governo do estado.

Falam pelos bastidores numa aliança com Rebecca Garcia (PP), mas o prefeito sabe que se ela não se eleger, ao apoiá-la, Artur Neto, estará dando asa para a deputada federal, que perdendo a eleição para o governo do estado, será sua adversária na disputa para a prefeitura de Manaus.

Pelos cenários pintados a frente de Artur Neto, ele já disse que em junho definirá com quem irá marchar para majoritário. Seu único apoio por enquanto declarado é a candidatura de Omar Aziz, ao senado.