Advogada pede prisão de prefeito do Rio Preto da Eva por descumprimento de ordem judicial - Fato Amazônico

Advogada pede prisão de prefeito do Rio Preto da Eva por descumprimento de ordem judicial

A advogada Maria das Graças Carvalho Monteiro, do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Rio Preto da Eva (Siserp), ingressou no último dia 16 deste mês com pedido de prisão do prefeito do município, Luiz Ricardo de Moura Chagas, por descumprimento de ordem judicial do juiz da Comarca, George Hamilton Lins Barroso, que proibiu o chefe do executivo municipal de contratar servidores temporários para os cargos do concurso público realizado em 2010. O processo que tramita na Comarca, é uma Ação Civil Pública, do Ministério Público do Estado, requerendo a prorrogação do concurso e contratação dos aprovados no concurso de 2010.

Para a advogada, ao descumprir a ordem judicial o prefeito "faz pouco da justiça do Estado do Amazonas". Graça Monteiro, disse que o chefe do executivo juntou documentos afirmando ter cumprido a ordem judicial, mas na verdade recontratou os funcionários não concursados como cargo de confiança "burlando/fraudando" o cumprimento da ordem judicial.

Graça Monteiro disse, que o prefeito tentou confundir o magistrado apresentando as demissões, mas ao olhar a folha de pagamento lá estão os servidores temporários supostamente demitidos recebendo normalmente da Prefeitura de Rio Preto da Eva, demonstrando o desrespeito do prefeito para com o Judiciário Amazonense.

A reportagem do Fato Amazônico, tentou falar com o assessor de imprensa da Prefeitura de Rio Preto da Eva, pelo celular 991×8-5x3x, a respeito do mandado de prisão, mas o telefone estava fora da área de serviço.