Daniel Nogueira, presidente da Comissão Eleitoral garante que até terça-feira todas as representações serão julgadas (Foto Divulgação)
Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O advogado Christhian Naranjo de Oliveira, candidato a desembargador pelo quinto constitucional, pediu, segunda-feira, 14, à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), a desclassificação das inscrições dos candidatos que compõem a “Coligação Amigos da Advocacia”.

O advogado Daniel Nogueira, presidente da Comissão Eleitoral da OAB-AM disse que os pedidos de impugnação são relacionados aos registros das candidaturas e as representações se referem às condutas dos candidatos durante o pleito. Ele garantiu que as representações devem ser julgadas nesta segunda-feira (21) e o mais tarde amanhã (22).

De acordo com as alegações de Christhian Naranjo, a coligação descumpriu os requisitos previstos na resolução 001/201, com a realização de inscrições individuais satisfazendo em tese o preceito legal.

“No formato elaborado com chapa fechada com seis membros há clara tentativa de inviabilizar os demais candidatos com estratégia desleal, nociva e vedada”, destaca Naranjo.

Além da realização de um evento em um bem público, ou seja no Centro de Convenções Vasco Vasques, planejado para o lançamento da chapa, Naranjo ressaltou suposto derrame  de dinheiro administrado pela “Coligação Amigos da Advocacia” às gráficas e produtores de vídeo, com maciça disseminação de matérias aos diferentes veículos de comunicação.

“As chances dos outros candidatos que seguem as normas diminuíram de forma drástica, não podendo a seccional, por meio desta Comissão Eleitoral permitir tal abuso”, avalia.

Quanto ao evento realizado no dia 27 de abril no Centro de Convenções Vasco Vasques, que contou com a presença de banda musical e show artístico do cantor Neguinho da Beija-Flor, Christhian Naranjo assegura que o mesmo serviu para a promoção pessoal não só do candidato organizador mas, também, dos demais componentes da coligação uma vez que todos vestiram a camisa ou ostentavam  adesivos colados ao peito dos membros da coligação.

Afirma o advogado que dezenas de fotos foram distribuídas nas redes sociais de domínio público, como nos perfis de Instagram, Facebook dos candidatos e grupos de wnatsapp, administrados por simpatizantes da coligação.

Segundo o denunciante, os candidatos fizeram uso de um bem público, infringindo o art 12º I, do provimento 146/2011, uma vez que o Centro de Convenções foi construído com verbas do governo estadual e federal.

A “Coligação Amigos da Advocacia” é composta pelos advogados Francisco Charles Cunha Garcia Junior, Paula Valário, Sílvio Costa Bringel Batista, Carlos Alberto de Moares Filho, Jorge Pinho e Francisco Adonias Pinheiro.

Leia na íntegra a representação


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •