Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Depois de ganhar notoriedade nacional ao sair da comunidade Sagrado Coração de Jesus, no município do Careiro da Várzea, e discursar durante a solenidade de lançamento da Política de Inovação Educação Conectada, em Brasília, nesta última quinta-feira (23/11), o estudante Paulo Henrique Gomes de Souza visitou, em Manaus, o local que proporcionou a ele o sucesso nacional: o Centro de Mídias da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (Seduc).

Durante a visita, realizada nesta sexta-feira (24/11), o aluno foi recebido pelo secretário de Educação, professor José Augusto. Estudante da 2ª série do Ensino Médio na Escola Estadual rural Tancredo Neves, o aluno participou da gravação de um vídeo institucional produzido pelo Centro de Mídias.

Representando os estudantes da educação básica de todo o Brasil, Paulo contou sobre a experiência dele em ter cursado o Ensino Fundamental Anos Finais (6° ao 9° ano) pelo Centro de Mídias, através programa de educação mediado por tecnologia.

“O maior impacto na minha vida em relação aos meus estudos foi quando iniciei o 6º ano do Ensino Fundamental mediado por tecnologia. Pelo Centro de Mídias, as aulas dos professores de cada disciplina são transmitidas ao vivo, de um estúdio de televisão, para milhares de comunidades rurais, dentre elas, a minha”, elogiou. “O ensino mediado por tecnologia trouxe uma educação completamente inovadora em nossa comunidade escolar. Hoje, cursando o 2º ano do Ensino Médio com aulas presenciais, falo com toda certeza e experiência que, para mim, as aulas do ensino mediado por tecnologia são bem mais interessantes”, finalizou.

Referência mundial – Na avaliação do secretário de Educação, professor José Augusto, o Centro de Mídias é verdadeiramente um programa de referência mundial que proporciona educação inclusiva, com qualidade e de forma democrática. “Em dez anos o Cemeam levou educação para milhares de pessoas no Amazonas. Sem a tecnologia, para ampliar o atendimento escolar nas áreas remotas, esses cidadãos não teriam acesso à educação”, destacou o secretário.

 

Educação conectada – O programa do Ministério da Educação (MEC) prevê a maior ação de conectividade na rede de ensino brasileira das últimas duas décadas. A nova política, que conta com a parceria do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCTIC), objetiva a universalização do acesso à Internet de alta velocidade nas escolas, a formação de professores para práticas pedagógicas mediadas pelas novas tecnologias e o uso de conteúdos educacionais digitais em sala.

A intenção do MEC é que, até o final do próximo ano, 22,4 mil escolas, urbanas e rurais, recebam conexão de alta velocidade. O processo será concluído em todas as demais escolas públicas até 2024.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •