Alunos da Escola Vocacional Masrour visitam CMM para conhecimento prático-pedagógico - Fato Amazônico

Alunos da Escola Vocacional Masrour visitam CMM para conhecimento prático-pedagógico

Um grupo de 31 alunos do 5º ano do ensino fundamental, da Escola Vocacional Masrour, do bairro São José 4, Zona Leste, durante visita à Câmara Municipal de Manaus (CMM) conheceu os tramites dos Projetos de Lei; o Memorial; a Sala Silvino Santos, além de acompanhar um pouco da Sessão Plenária desta terça-feira (22), presidida pelo presidente da Casa, vereador Bosco Saraiva (PSDB) que deu boas vindas aos estudantes.

A visita faz parte da aula prática das disciplinas de Geografia e História sobre o tema: ‘Os Municípios e a Câmara Municipal’, a qual servirá como experiência única aos estudantes como parte das atividades pedagógicas para avaliar os trabalhos do Poder Legislativo.

De acordo com o professor Arnaldo Braga, responsável pelos 31 alunos, o objetivo principal da visita é conhecer como são planejados, discutidos e organizados os Projetos de Lei até serem transformados em Leis Municipais. Tais informações farão parte das atividades escolares e valerá nota 5 para as duas disciplinas.

Os estudantes que acompanharam atentamente a história da Casa e receberam noções básicas sobre os tramites dos Projetos e Leis Municipais deverão produzir um relatório conforme sua própria percepção. A nota avaliada será somada ao trabalho de pesquisa realizado anteriormente pelos alunos sobre o gestor do Poder Legislativo e a composição da Casa, como explicou Arnaldo Braga.

“O objetivo principal da visita e fazer com as crianças conheçam na prática o funcionamento dos poderes Executivo e Legislativo e, principalmente, acompanhar os tramites dos Projetos de Lei, como feitos e por quem são feitos”, acrescentou o professor.

Melhorias para a comunidade

Os alunos aproveitaram a oportunidade para entregar ao presidente da Casa, quatro cartas sobre as dificuldades em sua comunidade. O documento é a junção de inúmeras cartas confeccionadas pelos próprios estudantes que descreveram as principais necessidades em seu bairro. As cartas foram selecionadas pela orientação pedagógica da própria escola.