Alunos de 60 escolas municipais terão disciplina de Educação Financeira - Fato Amazônico

Alunos de 60 escolas municipais terão disciplina de Educação Financeira

Mais de 60 escolas municipais começarão a ter, ainda no primeiro semestre deste ano, a disciplina de Educação Financeira como tema transversal da grade curricular dos alunos. Nesta terça-feira, 31, profissionais da rede participaram de programa de capacitação com a AEF-Brasil, órgão integrante da Estratégia Nacional de Educação Financeira (Enef), do Banco Central do Brasil.

A capacitação foi direcionada a assessores pedagógicos da Divisão de Ensino Fundamental (DEF), das Divisões Distritais Zonais (DDZs) e formadores da Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM).

Manaus foi uma das duas cidades do País escolhidas para receber o projeto-piloto de Educação Financeira para o Ensino Fundamental organizado pela AEF-Brasil. Após essa formação, os assessores pedagógicos serão multiplicadores, que disseminarão a prática com os professores das unidades de ensino da rede municipal.

De acordo com a gerente de projetos da AEF-Brasil, Yael Sanberg, a implementação da Educação Financeira será proveitosa tanto para alunos quanto para professores, que terão acesso a informações de como planejar, organizar e aplicar de maneira sadia suas finanças.

“Tudo isso é uma construção que faremos desde pequeno até a vida adulta. O professor é o primeiro a reconhecer isso como aprendizado, porque não fez parte da formação dele. Para as crianças, a gente entende que com o ensinamento, no futuro, ela será capaz de tomar as melhores decisões para a sua vida financeira. Acho que esse é o maior ganho que o projeto pode propiciar para uma criança”, disse.

Material pedagógico

A parceria com a AEF-Brasil vai disponibilizar além da formação, monitoramento e avaliação da aplicação da temática, livros didáticos que vão nortear a aplicabilidade da educação financeira pelo docente em sala de aula.

A coordenadora de educação fiscal e financeira da Semed, Shirley Vitor, explica que serão atendidos alunos do 3º ao 7º ano e 9º ano do Ensino Fundamental. “O aprendizado pode mudar não só na vida dos alunos, mas dos familiares porque o alcance da Educação Financeira visa preparar melhor o cidadão para, futuramente, não apenas ter uma renda melhor, mas saber aplicar a renda que ele tiver”, observou.

Para a subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Ana Falcão, a parceria com a AEF-Brasil vem fortalecer as ações de Educação Fiscal que a Semed já aplica nas escolas do município. “A Educação Financeira é um braço da Educação Fiscal e nós precisávamos ter esse aporte. Junto a essa associação estamos recebendo a formação e o material, além da metodologia de trabalho que eles vão nos ensinar”, explicou.

Idealizadora da parceria

A idealizadora da parceria entre AEF-Brasil e Semed foi a professora Adriene Jucá. Atualmente, ela é assessora administrativa da DDZ Oeste, mas há mais de dois anos, quando ainda lecionava em sala de aula, entrou em contato com a associação para adquirir materiais didáticos e aplicar a disciplina em sala de aula. Diante do interesse, a AEF-Brasil entrou em contato com a Semed e fechou a parceria para a implantação do projeto piloto. Segundo Adriene, que também é economista, a parceria é a realização de um sonho.

“O professor tem que vivenciar a Educação Financeira para saber o quanto é bom e o quanto precisamos passar para os nossos alunos. A Educação Financeira não é só para as famílias, mas para um todo, pois um país só se desenvolve com um povo educado financeiramente”, concluiu.