Amanhã começa a entrega das camisas da Corrida do Arco-Íris - Fato Amazônico

Amanhã começa a entrega das camisas da Corrida do Arco-Íris

A entrega das camisas aos três mil inscritos na “Corrida do Arco-Íris” será realizada, nesta quinta e sexta-feira, 15 e 16, das 14h às 20h, na Vila Olímpica de Manaus, localizada no bairro Dom Pedro. A disputa é uma realização da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (Sejus).

Além da camisa, o inscrito receberá uma sacola personalizada da corrida e um número de identificação, que no dia da corrida deverá estar fixado em seu peito. Para a retirada do kit, é necessário apresentar o recibo que comprova a inscrição e documento com foto do inscrito. Vale ressaltar que não haverá entrega de kit no dia do evento.

A Corrida do Arco-Íris tem forte apelo social e será realizada no próximo sábado, 17, no Dia Internacional de Combate à Homofobia. A largada ocorrerá às 17h30, no Comando Militar do Amazonas (CMA), localizado na avenida Coronel Teixeira, em frente ao Shopping Ponta Negra, e a chegada está prevista para ocorrer no anfiteatro da Ponta Negra.

Haverá premiação do primeiro ao décimo colocado, tanto na categoria masculina, quanto na feminina. Ao todo, são R$ 15 mil em premiação. Além de medalhas personalizadas, o primeiro lugar receberá R$ 2 mil, o segundo R$ 1,5 mil; o terceiro R$ 1 mil; o quarto R$ 800; o quinto R$ 700; o sexto R$ 500; o sétimo receberá R$ 400; o oitavo terá R$ 300; o nono ganhará R$ 200; e o décimo colocado levará R$ 100.

Um dos diferenciais da Corria do Arco-Íris será a festa que vai ser realizada, após a entrega da premiação, no anfiteatro da Ponta Negra, com entrada liberada, e a apresentação do DJ espanhol Nacho Chapado, da carioca Ana Paula (rainha das baladas LGBT), do DJ Morais (residente da The Week), do paulista Márcio S. (que atua no D-Edge – em SP – e no SUB – em Manaus) e do amazonense Pedro Gaioto

O titular da Sejus, Louismar Bonates, afirmou que as inscrições para a corrida foram gratuitas e isso garantiu três mil pessoas inscritas em tempo recorde, apenas 48 horas. Apesar de não haver mais a possibilidade de inscrição, ele declarou que qualquer pessoa pode participar da competição.

“Estamos incentivando a participação do máximo de pessoas porque a ideia é motivar a população amazonense a entrar na luta contra o preconceito, contra a homofobia. Também fizemos articulações para incentivar a participação de muitos movimentos LGBT (Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros). Pois a corrida, antes de ser um evento esportivo, é um ato de cidadania”, disse Bonates.