Estudantes da rede pública estadual do Amazonas participaram, na última semana, da 7ª edição do Intercâmbio de Saberes – Encontro das Juventudes Ribeirinhas do Amazonas, promovido pela Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS).

Os jovens dos ensinos Fundamental e Médio estão matriculados em escolas estaduais instaladas em Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS), administradas pelo Governo do Estado, dentre elas: Escola Estadual Cíntia Régia (localizada na Comunidade Punã, em Uarini); Escola Estadual JW Marriot (Comunidade Boa Frente, em Novo Aripuanã); Escola Estadual Yamamay (Comunidade Uatumã, em Itapiranga); Escola Estadual Doutor Thomas Lovejoy (Comunidade Tumbira, em Iranduba) e Escola Estadual Samsung (Comunidade Três Unidos, Manaus).

A proposta do intercâmbio, segundo a coordenadora de Educação Ambiental da SEDUC, Thelma Prado, foi fortalecer os espaços de diálogo e participação cidadã, contribuindo com a formação de jovens mais autônomos em solidariedade e na defesa de sua comunidade, além de promover o protagonismo e engajamento na conservação ambiental e questões sociais nas Unidades de do Amazonas. 

“Esses alunos, que vivem nessas comunidades, em locais bem distantes, de difícil acesso, vêm para esse intercâmbio para adquirir mais conhecimento sobre as unidades de conservação e como eles podem auxiliar as famílias, os amigos, dentro das unidades de conservação.É um momento de interação, em que eles falam sobre o cuidado com a água, porque na zona urbana está tudo poluído e eles têm um rio imenso para preservar”, explicou.

Empreendedorismo

Ainda de acordo com Prado, durante o intercâmbio, os estudantes também tiveram contato com noções de empreendedorismo.

“Eles vêm também para conhecer um pouco sobre a cultura do Estado, visitam teatros, locais de arte moderna e também conhecem de que forma eles podem montar uma Organização Não-governamental e a partir daí, voltar alguma coisa para dentro da sua comunidade, da questão do empreendedorismo.  Em cada unidade onde a SEDUC tem escola, têm uma potencialidade. A ideia é empoderá-los, para que eles possam, futuramente, ter algum empreendimento, fazer parte das associações, como juventude atuante”, afirmou Prado.

Aprendizado

Dorian Batista Correa, 17, que está cursando a 3ª série do Ensino Médio na Escola Municipal Vitor Civita, que funciona como anexo da rede estadual no município de Novo Aripuanã, participou pela primeira vez do intercâmbio. Segundo o jovem, as questões discutidas no evento foram essenciais para reforçar a importância da conservação do meio ambiente.

“Aprendi muito sobre preservação. Se nós não preservarmos, pode acontecer o mesmo que está acontecendo com a cidade de Manaus, que está se tornando quase um lixão.O nosso meio ambiente está tão lindo e assim como era antes aqui, lá também pode se tornar como está aqui. Isso me chamou atenção por eu gostar muito de preservar a floresta e sempre querer ela em pé”, disse.

O aluno da 1ª série do Ensino Médio da Escola Estadual JW Marriot, Elias Capistrano Melo Farias, de 15 anos, também participou do intercâmbio pelo segundo ano consecutivo. A troca de conhecimentos, de acordo com ele, foi o mais relevante durante o evento.

“Para mim é muito importante, porque fazemos uma grande troca de conhecimento, reunindo com outras escolas e cada um traz da sua comunidade as suas ideias”, destacou.