O lateral direito Michel Macedo chegou ao Corinthians como reforço para a próxima temporada e promessa de solução para a reserva de Fagner, problema que acompanhou a equipe nos últimos anos. Além disso, porém, o defensor carrega uma pequena amizade com o atacante Diego Tardelli, alvo do Timão para a próxima temporada. O papo entre eles, porém, nunca entrou nesse mérito.

“Tenho contato mais pelo Instagram, converso com ele, falo com ele de vez em quando. Sobre isso ele não comentou nada, é uma decisão mais entre ele e o Corinthians”, comentou o defensor na sua apresentação, lembrando do tempo em que defendeu o Atlético-MG junto com o atacante. Ambos foram campeões da Copa Libertadores da América de 2013 pelo time de Minas.

“Tive a oportunidade da minha vida, que foi disputar uma final de Libertadores, para mim foi uma das melhores experiências que eu tive como jogador na minha vida”, continuou Michel, na expectativa para saber se terá a companhia do avante no ano que vem.

Tardelli, que tem contrato apenas até o final do ano no futebol chinês, seria o principal nome da janela de transferências entre o final de 2018 e o começo de 2019, uma espécie de resposta após o fraco desempenho no segundo semestre. O atleta estará livre para assinar com qualquer clube a partir de janeiro e já foi procurado pelo Timão para saber da vontade de voltar ao Brasil. O aceno, segundo apurou a Gazeta Esportiva, foi positivo.

O problema, no entanto, é que o jogador, também alvo de outros adversários pelo país, precisaria reduzir seus ganhos mensais para se adequar à folha salarial do clube. Ele tem 33 anos e é visto como um nome em busca do último grande contrato da carreira.

O presidente Andrés Sanchez afirmou na última quarta-feira que não gastaria um valor fora da realidade do clube justamente para não comprometer as finanças dos próximos presidentes. “Não dá para pagar R$ 600 mil em m jogador. Ou temos consciência disso ou vamos ter problemas”, disse o mandatário. (Gazeta Esportiva)