Na semana passada, o prefeito Herivaneo Seixas esteve em Manaus no setor de cobrança da Amazonas Energia, não para pagar as parcelas atrasadas, mas para evitar o corte de energia nos prédios públicos. (Foto Divulgação)

A Prefeitura do Município de Humaitá, depois de reconhecer a dívida com Eletrobras Distribuição Amazonas de R$ 9 milhões conseguiu em 2018, com autorização a Câmara Municipal de Humaitá (CMH), o parcelamento da despesa em 10 anos.

Conforme negociação proposta pelo prefeito Herivâneo Seixas, o município de se comprometia pagar em 120 parcelas, com entrada de R$ 285 mil, o total da dívida acumulada.

Ocorre que desde setembro do ano passado, o prefeito não mais pagou as parcelas combinadas com a Eletrobras e autorizadas pela CMH. Ou seja, de lá para cá, o prefeito deixou Herivâneo deixou de pagar mais de R$ 398 mil devidos aos cofres da Eletrobras (veja faturas).

A redação do Fato Amazônico entrou em contato com a assessoria da Eletrobras pelo telefone 92 991×5-4xx3 e por e-mail, desde terça-feira (12), mas não obteve resposta.

Para lembrar

Somente em 2017, primeiro ano da atual administração Herivaneo Seixas, a Prefeitura do Município deixou de pagar a Eletrobras R$ 1.638.612,07 e em 2018, R$ 3.225.336,99 – valores esses que, somados, ultrapassam o total da dívida de outras administrações.

De 2017 e início de 2018, o salto da dívida foi de R$ 9 milhões.

Faturas