Após pressão, São Paulo x Cruzeiro terá Amarilla na arbitragem - Fato Amazônico

Após pressão, São Paulo x Cruzeiro terá Amarilla na arbitragem

Gazeta Esportiva – A Conmebol divulgou ontem (29) a arbitragem para a primeira partida das oitavas de final entre São Paulo e Cruzeiro, em 6 de maio. Depois da pressão da diretoria do clube paulista antes do clássico contra o Corinthians por conta da arbitragem brasileira de Sandro Meira Ricci, a entidade definiu um trio paraguaio para o confronto no Morumbi.

Quem apitará a partida será Carlos Amarilla, com assistência de Eduardo Cardozo e Milciades Saldivar. Amarilla cuja atuação foi muito criticada pelo Corinthians na eliminação de 2013, justamente nas oitavas, frente ao Boca Juniors. Na ocasião, além de supostos pênaltis não dados, Tite reclamou de gol anulado.

Amarilla trabalhou também em uma queda do próprio São Paulo na competição continental. Em 2008, foi ele o árbitro da vitória do Fluminense por 3 a 1, no Maracanã, que derrubou o time então treinado por Muricy Ramalho nas quartas de final. O volante Joílson foi expulso no final do segundo tempo, minutos antes de Washington anotar o terceiro e decisivo gol carioca.

Neste ano, antes de seu último compromisso na fase de grupos da Libertadores, o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, queixou-se da escolha de Sandro Meira Ricci para o clássico no Morumbi. Ainda lutando por uma vaga, o dirigente levantou o histórico do mineiro e disse não confiar nele. "Ele tem retrospecto de expulsão de dez jogadores do São Paulo em 17 jogos e de apenas uma expulsão de jogadores do Corinthians em 17 jogos", falou, na véspera.

O temor pelo baixo número de cartões vermelhos para o Corinthians não acabou sendo problema. No jogo, Ricci expulsou dois jogadores adversários, os atacantes Emerson e Stiven Mendoza, algo que foi muito contestado pelos visitantes no Morumbi. O São Paulo também teve um atleta excluído, Luis Fabiano. Pela suspensão, o centroavante é desfalque diante do Cruzeiro, assim como o zagueiro Dória e o volante Hudson (pelo terceiro cartão amarelo).