Após sofrer racismo na TV, Maria Gal, a Gleyce, de “As Aventuras de Poliana”, do SBT, decidiu criar uma produtora audiovisual para dar visibilidade a artistas negros.

“Já fui preterida porque, segundo o diretor, o tom da minha pele não era tão comercial. Esta realmente é a mentalidade de quem manda no audiovisual hoje no Brasil. Quanto mais escuro, quanto mais características negras tiver, menos comercial o ator ou a atriz é, e eles devem constar em determinados estereótipos”, disse ao “Uol”.

Além de lutar contra o preconceito racial, a famosa tem intenção de, com seu novo projeto, colaborar com o feminismo. “Minha função enquanto criadora e produtora é trazer novas realidades, ou personagens negros femininos que possam empoderar de alguma forma e que a sociedade tenha outros pontos de vista em relação à mulher negra”, afirmou.

Além do papel na novelinha teen da emissora do Homem do Baú, Gal trabalhou em filmes como “Carandiru” (2003), e novelas como “Carrossel” (2012-2013), “Gabriela” (2012) e “Joia Rara” (2013-2014), e também na série “Conselho Tutelar”, da Record. (FAMOSIDADES)