O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), manifestou preocupação na quarta-feira, 31/10, com o anúncio da equipe econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) e a fusão dos ministérios da Fazendo, Indústria e Comércio e Planejamento. O prefeito teme pelo destino da Zona Franca de Manaus e a não permanência das indústrias no Polo Industrial e, consequentemente, a perda de empregos.

“Quando o homem forte do presidente eleito, o economista Paulo Guedes, fala em corte de subsídios, genericamente eu estou de acordo porque tem muito subsídio dado para quem não precisa. Se ele não quer que a Zona Franca não esteja nesse bolo, aí realmente é para ficar preocupado”, afirmou o prefeito. Ele lembrou que é preciso levar em conta que a Zona Franca é garantia de manter a floresta em pé e, consequentemente, o equilíbrio do meio ambiente. “Ele precisa lembrar que quem garante chuva paro o Sudeste é a Amazônia”, afirmou.

O prefeito, no entanto, disse que tem confiança no futuro ministro Paulo Guedes e desejou sorte ao novo governo. “Eu desejo muita sorte ao novo presidente. Nós precisamos disso, não podemos viver mais um fracasso”, afirmou.