As gafes dos cerimoniais da Assembleia Legislativa e Governo do Estado - Fato Amazônico

As gafes dos cerimoniais da Assembleia Legislativa e Governo do Estado

A noite da última sexta-feira, no Teatro Amazonas, reuniu a nata da sociedade amazonense para a posse de José Melo, no governo do Estado, também foi marcada pelas gafes dos cerimônias da Assembleia Legislativa do Estado e do Governo do Estado.

A primeira delas ocorreu quando José Melo, foi chamado pelo presidente da Assembleia, deputado estadual Josué Neto (PSD) para fazer seu discurso. Ele se aproximou do pedestal e o microfone estava distante e lá ficou sem que ninguém do cerimonial se aproximasse e o governador disse “não será um microfone que fará um filho de seringueiro desistir”, brincou o governador ao pegar o microfone para iniciar o discurso.

A segunda gafe da noite, ficou por conta do cerimonial do governo do Estado. A solenidade da Assembleia terminou, as cortinas foram fechadas e ao abrir para entrada do secretariado para que a faixa fosse colocada em José Melo, aconteceu a ratada.

O locutor anunciou, agora com a palavra o governador Omar Aziz. Sem entender nada ele, que já tinha discursado por mais de 20 minutos na primeira solenidade disse “eu outra vez”. Mas não perdeu o rebolado e foi lá e desejou apenas boa sorte ao que assumiu.

Quando Melo foi chamado, ele disse “meu repertório já acabou”, sorriu e dirigiu ao centro do Teatro para o fim da solenidade.