Três novos membros da Academia de Letras do Brasil no Amazonas (ABL/AM) foram diplomados nesta quarta-feira (12), no miniplenário Cônego Azevedo, completando o quadro de imortais da academia. Foram eles: a professora, advogada e contabilista Rita Haikal (cadeira 11), o professor doutor Olavo Tapajós (cadeira 32) e a professora e escritora Raimunda Gil Schaeken (cadeira 40).

Cecília Rodrigues, presidente da Academia no Amazonas, explicou o funcionamento e o papel da academia. “Nós temos uma diplomação anual, mas com a morte da nossa vice-presidente Ierecê Barbosa em março deste ano, abriu a vacância da cadeira dela, totalizando três cadeiras vagas, então aproveitamos para fazer em uma sessão única, a diplomação destes três novos membros que passam a integrar o quadro da academia. A academia tem uma proposta de desenvolver o aspecto cultural, além de propagar a língua portuguesa e a literatura brasileira, desenvolvendo trabalhos voluntários, seja em parcerias ou não”, explicou.

Com 54 anos de magistério, Rita Haikal, falou sobre a satisfação de ser diplomada como membro da academia. “É sempre muito bom ser homenageada e ao longo dos meus 54 anos de magistério tenho sido alvo de muitas homenagens e medalhas de várias instituições de Manaus e hoje sou homenageada com a indicação do meu nome para ocupar uma cadeira na Academia de Letras do Brasil no Amazonas e isso é bom, vejo como uma espécie de recompensa pela minha dedicação e busca na transmissão pelo amor à língua e ao zelo no falar e escrever, que tem sido minha luta constante”, declarou.