Os atacantes do Corinthians viram uma longa série de jogos sem gols ser findada por Roger, mas ainda têm alguns dados que evidenciam a pouca produção da equipe nessa parte. Chegando à reta final do Campeonato Brasileiro, os atletas responsáveis por balançar a rede adversária presentes no atual elenco acumularam mais cartões do que gols durante o ano.

A conta se baseia no desempenho dos seis atletas considerados atacantes pelo próprio clube, listando Romero, Roger, Clayson, Emerson Sheik, Jonathas e Matheus Matias. Nomes que exercem função semelhante, mas têm uma característica maior de armação, como Pedrinho e Mateus Vital, não estão inclusos. Ao todo, os avantes corintianos marcaram 24 tentos em jogos oficiais e amitosos. Em compensação, porém, foram advertidos com 29 cartões no total, sendo 26 deles amarelos e três vermelhos.

O líder em ambos os quesitos é o paraguaio Ángel Romero, que consegue manter um saldo positivo com os 12 gols anotados. Segundo maior artilheiro do ano, atrás apenas do meia Jadson, ele supera por pouco os dez amarelos e o vermelho recebido, totalizando 11 advertências.

O centroavante Roger, por sua vez, tem uma folga um pouco maior, com cinco gols marcados e três amarelos recebidos. Os outros nomes, porém, amargam números desanimadores, a começar por Clayson. Peça importante na arrancada final pelo título brasileiro no ano passado, ele tem apenas três gols marcados contra oito amarelos e um vermelho recebidos.

Emerson Sheik, que ganhou importância recente e deve ser titular no duelo contra o Bahia, neste sábado, marcou dois gols na temporada, um deles no Paulista e outro na Libertadores da América. Aos 40 anos e prestes a se aposentar, no entanto, ele também acumulou quatro cartões amarelos e um cartão vermelho.

Visto como solução quando chegou, mas relegado a terceira opção nesta semana, Jonathas é o único que não levou cartão, somando positivamente apenas com o seu gol, marcado no clássico contra o São Paulo. Matheus Matias, que poucas chances teve, contribui com um gol e um cartão amarelo, levado justamente na comemoração do tento, no amistoso contra o Grêmio. (Gazeta Esportiva)