Átila Lins e Belarmino foram parar no PP, de Francisco Garcia, em abril do ano passado

O deputado Átila não seria deputado desde 1978 se não fosse um cara pra lá de esperto – uma espécie de raposa velha, manhoso, cheio de truque para se manter no poder.  Em Abril, por exemplo, em substituição ao empresário Francisco Garcia, Átila Lins assume a Presidência do PP e já flerta com o governador Wilson Lima para tê-lo nas hostes do partido.

O desejado sim ainda não foi dado, mas dificilmente Wilson Lima resistirá aos encantos que a todos seduz de Átila Sidney Lins Albuquerque, 69 anos, nascido em Fonte Boa, lá na região do Alto Solimões.

Nos bastidores da política já se comenta que, após convite, Wilson Lima, eleito no PSC, está fortemente inclinado a deixar o barco do pastor Everaldo Dias Pereira e navegar em águas tépidas em lua de mel na canoa de Átila Lins.

Apesar do secretário-geral e tesoureiro do partido, Walter Roberto Sipelli, continuar negando de que Átila Lins será o novo presidente do Diretório Estadual dos Progressistas no Amazonas, fontes do Fato Amazônico confirmam que o deputado federal prestigiado pelo presidente nacional da legenda, Ciro Nogueira, assume o comando da sigla em abril, quando termina o mandato de empresário Francisco Garcia.

De acordo com as fontes, a articulação para Átila Lins assumir o comando do PP no Amazonas contou com uma “mãozinha” de um senador amazonense que tratou com o também senador Ciro Nogueira, presidente da executiva nacional, a mudança no comando do partido.

O senador amazonense teria mostrado a Ciro Nogueira que o PP no Amazonas estava perdendo muito no comando da família Garcia. E citou percas como a ida da ex-deputada federal Conceição Sampaio para o PSDB do prefeito Arthur Virgílio Neto e ainda as três derrotas de Rebecca Garcia nas disputas ao governo do estado, em 2014 com Eduardo Braga, em 2017 ao lado de David Almeida e em 2018 com Amazonino Mendes.