Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviou no mês passado cartas para alguns de seus aliados da OTAN, onde se queixava que eles não contribuem o suficiente com a Aliança Atlântica, de acordo com informações do jornal “The New York Times”.

Os destinatários das cartas foram, entre outros, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel; o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, e o presidente do Governo da Espanha, Pedro Sánchez.

Estas mensagens são conhecidas no período que antecede a cúpula da OTAN convocada em Bruxelas para os próximos dias 11 e 12.

Nas cartas, Trump constatou que após mais de um ano de queixas em público e em privado para pressionar aos países da OTAN que forneçam 2% do seu Produto Interno Bruto (PIB) para a defesa comum, estes ainda não contribuem o suficiente, informou o jornal nova-iorquino.

O presidente dos EUA acrescentou, sempre de acordo com o “NYT”, que, como consequência, pode reconsiderar a presença militar americana no mundo.

“Como discutimos durante sua visita em abril, há uma frustração crescente nos EUA com que alguns aliados não deram um passo adiante como tinha sido prometido”, disse Trump, em sua carta a Merkel.

“Os EUA – defendeu Trump – seguem dedicando mais recursos para a defesa da Europa quando a economia do continente (europeu), incluindo a Alemanha, vai bem e abundam os desafios de segurança. Isso não é mais sustentável para nós”.

Além de Merkel, Sánchez e Trudeau, pelo menos receberam a carta os líderes da Noruega, Bélgica, Itália, Luxemburgo, Holanda e Portugal.

Desde que assumiu a presidência dos EUA, Trump tem se queixado que seu país gasta demais na OTAN, uma ideia que ele tem repetidamente transferido para seus parceiros continentais, em ligações telefônicas e reuniões bilaterais. (Agência EFE)


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •