Um áudio gravado por uma enfermeira da Fundação de Medicina Tropical, que por compromisso profissional não terá o nome citado, expõe com clareza solar o avanço do vírus H1N1 para um quadro de pandemia em Manaus.

De acordo com a enfermeira, a informação é próprio diretor de Epidemiologia do Hospital que, segundo ela, conversou sobre o assunto com um médico de nome Bertozzi.

“O vírus continua circulando com grande virulência. A coisa tá grave, grave, grave”, enfatiza a enfermeira.

Nitidamente assustada com as informações, a enfermeira recomenda o uso permanente de álcool gel e que evitem aglomerações e consumo de alimentos na rua.

De acordo com informação de técnicos do Pronto-Socorro 28 de Agosto, a situação é real e que as autoridades não falam para não alarmar as pessoas.

No PS 28 de Agosto, segundo a fonte, existem sete pessoas internadas- uma delas no isolamento. “O vírus causa uma pneumonia gravíssima com alta letalidade”, asseverou.

Recentemente, técnicos lotados na UTI do PS 28 de Agosto receberam treinamento específico sobre a doença na Fundação de Vigilância Sanitária.

De acordo com a literatura, o H1N1 é um vírus que pode causar gripe. Crianças, idosos, gestantes e pessoas com doenças crônicas ou imunodeficiências são mais vulneráveis.

Após os sintomas, o tratamento deve iniciar em 48 horas, com orientação médica. Além da vacinação, é importante lavar as mãos e evitar locais com aglomeração de pessoas.

Ainda de acordo com a literatura, uma doença é considerada pandemia quando é altamente contagiosa e ao se difundir mata grande número de pessoas.

Ouça o áudio