Belarmino Lins pede “Luz Para Todos” a indígenas do Alto Solimões - Fato Amazônico


Belarmino Lins pede “Luz Para Todos” a indígenas do Alto Solimões

Em atendimento a reivindicações do cacique Raimundo Macário Onório, o deputado estadual Belarmino Lins (Pros) está solicitando ao diretor-presidente da Eletrobras Amazonas Energia, Tarcísio Rosa, benefícios do Programa Luz Para Todos à comunidade indígena  de Campo Alegreno município de São Paulo de Olivença/AM, no Alto Solimões.

“As reivindicações encaminhadas a nós pelo cacique Raimundo Macário são muito importantes para garantir o bom uso dos recursos do Programa Luz Para Todos em São Paulo de Olivença”, diz o parlamentar cujo documento enviado ao seu gabinete pelo líder indígena foi subscrito pelos dirigentes comunitários Mamelito Tomaz Avelino, Nazareno Fidelio Tomaz, Ademar Macedo Bibiano, Bruno João, Firmario Olesio Macário e Laurito Emílio Custódio.

Por meio de requerimentos aprovados pelo plenário da Assembleia Legislativa, Belarmino também solicitou ao governador Amazonino Mendes e à Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) a celebração de convênio com a Prefeitura de São Paulo de Olivença sobre um poço artesiano e uma caixa d’água para Campo Alegre.

O deputado também está pedindo ao Governo do Estado a recuperação das ruas de Campo Alegre, bem como a reforma e ampliação da quadra poliesportiva da comunidade indígena. Ele pede, ainda, a construção de uma Unidade Básica de Saúde para a comunidade, bem como a aquisição de uma picape, uma carrocinha (triciclo) e uma lancha equipada com motor de popa de 90hp para atender as demandas locais.

Belarmino também está lutando pela instalação de uma torre de telefonia móvel em Campo Alegre para beneficiar os indígenas. “A instalação dessa torre é de fundamental importância para os indígenas, principalmente no que diz respeito a situações de emergências, pois a comunidade fica distante da sede do município e, quando ocorrem situações graves, não há como os comunitários se comunicarem com a sede municipal”, argumenta o deputado.