O fundador da Microsoft, Bill Gates, apresentou nesta quarta-feira em Pequim sua aposta para fazer frente à crise mundial de saneamento: um vaso sanitário que não necessita de água nem de ser conectado a nenhum sistema de depuração para funcionar e que transforma os resíduos humanos em adubos.

O multimilionário mostrou este inovador modelo ao público em uma exposição realizada em Pequim para exibir os últimos avanços tecnológicos de saneamento para “reinventar os vasos sanitários” e acelerar sua adoção e comercialização.

“Esta exposição apresenta pela primeira vez tecnologias e produtos de saneamento descentralizado radicalmente novos e prontos para serem comercializados”, destacou Gates em comunicado divulgado pela Fundação Bill e Melinda Gates.

Neste contexto, o fundador da Microsoft apresentou sua proposta de vaso sanitário, cujo uso pode ser universalizado graças ao fato de que não precisa ser conectado a nenhum sistema de saneamento, não requer água e transforma os dejetos humanos em adubos.

Alguns destes vasos sanitários já estão sendo testados na cidade sul-africana de Durban, onde também estão sendo iniciados outros modelos alimentados por energia solar, explicou Gates em um vídeo na sua conta oficial no Twitter.

A rápida expansão destes novos produtos e sistemas de saneamento que não necessitam se conectar a nenhuma rede poderiam reduzir drasticamente o número de mortes e o impacto da falta de higiene na saúde da população nos países mais pobres, acrescentou.

Gates também mostrou durante a apresentação um tarro cheio de sedimentos para explicar que os resíduos humanos podem provocar doenças como diarreia e cólera, que já causam cerca de 500.000 mortes de crianças menores de cinco anos a cada ano no mundo todo.

Além disso, lembrou que mais de US$ 200 bilhões são perdidos anualmente devido aos custos sanitários e à baixa produtividade provocada pela falta de um saneamento adequado.

Também participou da exposição o presidente do Banco Mundial (BM), Jim Yong Kim, que destacou que o saneamento é uma das prioridades para sua organização, que se aliará com a Fundação Bill e Melinda Gates para levar instalações sanitárias seguras a todas as partes do mundo.

“Os sistemas que podem se estender com rapidez e podem proporcionar um saneamento seguro e sustentável às comunidades são fundamentais para a qualidade de vida e o desenvolvimento do capital humano”, declarou o presidente do BM, citado no comunicado.

A fundação Bill e Melinda Gates, que investiu mais de US$ 200 milhões desde 2011 para reinventar os vasos sanitários, prometeu durante o encontro investir outros US$ 200 milhões para finalmente atingir o objetivo.

Segundo os últimos dados da ONU, 60% da população mundial não conta com instalações sanitárias adequadas e quase 900 milhões de pessoas no planeta se veem obrigadas a defecar ao ar livre por não ter acesso a um banheiro.

No próximo dia 19 de novembro será promovido o Dia Mundial do Vaso Sanitário, com o objetivo de sensibilizar sobre a crise mundial de saneamento e fomentar medidas para solucioná-la, de acordo com o estabelecido nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que têm como horizonte o ano 2030. (EFE)