Uma confusão na madrugada da última sexta-feira (15), terminou com briga e lábio decepado em Manaus. Tudo aconteceu em um estacionamento e em um posto de gasolina na Av. André Araújo, no bairro Aleixo, Zona Centro-Sul.

Segundo o G1, a funcionária pública Bianca Castro Figueiredo, 35, e mais dois amigos saíam de uma lanchonete quando teriam sido abordados por Samara Silva Pinheiro, 19 – conhecida como Samara Pavanelly-, e o namorado dela.

A delegada Alynne Lima, titular do 16º DIP disse que aparentemente foi mal entendido. “O grupo da Bianca estava conversando e brincando e disseram ‘eu sou uma puta’.” Samara teria entendido que estavam falando dela e o seu namorado foi tirar satisfações.

Durante a discussão, Samara teria dado um tapa na cara de uma amiga de Bianca, Ana Rosa Cardoso, 37. Os seguranças de um bar próximo contiveram a briga e o grupo deixou o local. Minutos depois o grupo se reencontrou no posto de gasolina.

 “No posto, eles se encontraram ocasionalmente. Lá, uma das partes foi tirar satisfação com a outra. Partiram para agressão mútua e uma teve o lábio dilacerado”, disse a delegada.

Em entrevista ao Acrítica, Ana Rosa, amiga da funcionária pública disse que a amiga queria fumar e por isso pararam no posto de gasolina. Ao ver Samara, sua amiga foi tirar satisfação e outra briga se iniciou. “Essa moça que nunca vi na vida pegou minha amiga pelos cabelos e a jogou no chão. Fui separar as duas e depois vi que havia muito sangue no rosto dela, quando chegamos no hospital que vimos a gravidade do ferimento. Como é que uma pessoa faz isso com a outra?”, disse ela.

Reconstrução de lábios

A vítima foi conduzida para o HPS 28 de Agosto, onde passou por cirurgia de reconstrução labial na segunda-feira (18), que iniciou às 12h30 e terminou às 17h39. Segundo a amiga, as medidas cabíveis em relação à agressão serão acompanhadas por um advogado.

Irmã da acusada se pronuncia nas redes sociais

A irmã de Samara, a blogueira Camilla da Silva saiu em defesa da irmã em sua rede social.

Autora da mordida

A autora da mordida já se apresentou na polícia e prestou o primeiro interrogatório sobre o fato. De acordo com a delegada Alyne Lima, titular do 16º DIP, Samara confirmou a versão apresentada pela vítima e a amiga, dizendo que a confusão teria iniciado no estacionamento do bar e restaurante e estendido até o posto de gasolina. Segundo a delegada, a agressora contou que no estacionamento a vítima a xingou, o que motivou a discussão e posteriormente agressão.

Segundo a titular do 16º DIP, Samara foi ouvida em termo de interrogatório e que possivelmente poderá ser indiciada por lesão corporal grave, podendo pegar de 1 a 5 anos de reclusão. A delegada revelou ainda que o crime pode ser mudado para lesão corporal gravíssima. “Tenho 30 dias para concluir e possivelmente ela será indiciada por lesão corporal grave, mas dependo do laudo do hospital porque pode haver uma mudança, dependendo do resultado, até para gravíssima”, esclareceu.