Câmara flagra policiais militares supostamente dormindo dentro de viatura no horário de serviço - Fato Amazônico

Câmara flagra policiais militares supostamente dormindo dentro de viatura no horário de serviço

Câmaras do circuito interno de uma viatura da 23ª Companhia Interativa Comunitária, responsável pelo policiamento na Zona Centro-Sul de Manaus, flagrou na última quinta-feira (1) à noite por volta de 23h37 dois policiais militares, aparentemente dormindo em horário de serviço, nas proximidades da Arena da Amazônia no interior do veículo.

As imagens foram que são geradas pelas câmaras internada da viatura para o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), localizado na avenida André Araújo, no Aleixo, também na Zona Centro-Sul.

O caso foi parar na manhã desta sexta-feira na Diretoria de Justiça e Disciplina da Polícia Militar pelo comandante da 23ª Cicom, major Nilo Corrêa, que disse ter tomado conhecimento do fato na manhã de hoje.

De acordo com o comandante os soldados que estavam cochilando no interior da viatura nas proximidades da Arena da Amazônia, foram identificados, mas não tiveram os nomes revelados. O major disse que como os policiais não deveriam estar dormindo, pois estavam em horário de serviço, o que configura uma transgressão disciplinar.

Mas para o advogado e oficial da Polícia Militar, Júlio César Correa, que é ligado a Associação dos Praças do Estado do Amazonas, o fato dos policiais serem flagrados supostamente dormindo. “O fato de estar num posto base (PB) com vidros levantados, ar ligado e farol apagados, mas com giroflex ligados, não caracteriza estar dormindo”, escreveu em seu facebook o advogado.

Júlio César, afirma ainda na sua postagem os tenente não viu os policiais dormindo. O oficial de sobreaviso com bom senso, após registrar o fato e colher os depoimentos encaminhou os autos para a Diretoria de Justiça e Disciplina.

“É assim que se faz Justiça, garantindo o direito das partes. E como a prisão é u ato extremo ela só deve ser utilizada em última instância”, concluiu o advogado.