Campeões do 61º Festival folclórico do Amazonas serão conhecidos nesta sexta-feira - Fato Amazônico

Campeões do 61º Festival folclórico do Amazonas serão conhecidos nesta sexta-feira

Encerrando a programação do 61º Festival Folclórico, a Festa dos Campeões acontece nesta sexta-feira, 18/8, às 19h, após a apuração, que inicia às 15h, ambos no Anfiteatro do Complexo Turístico Ponta Negra, zona Oeste. O Festival Folclórico encerrou as apresentações nesta quarta-feira, 16/8, com sucesso de público. Durante 13 dias, mais de 50 mil pessoas prestigiaram as apresentações dos grupos das categorias Bronze e Prata.

Disputam a categoria Bronze 27 grupos em 11 modalidades: 1 bumbá regional, 1 cacetinho, 4 cirandas, 2 danças alternativas, 2 danças internacional, 1 dança nacional, 4 danças nordestinas, 7 quadrilhas cômicas , 2 quadrilhas duelo, 2 quadrilhas tradicionais e 1 tribo. Os primeiros colocados subirão para a categoria Prata.

Na categoria Prata 57 grupos disputam 11 modalidades: 3 cacetinho, 6 cirandas, 4 danças internacional, 3 danças nacional, 6 danças nordestinas, 1 dança regional, 1garrote regional, 5 quadrilhas cômicas , 4 quadrilhas duelo, 23 quadrilhas tradicionais e 1 tribo. Os últimos colocados desta categoria cairão para categoria Bronze.

No total, nos treze dias de festival, foram 84 grupos, somando mais de seis mil brincantes, além da participação das três cirandas de Manacapuru, do show da banda Carrapicho e das 30 barracas da Feira Gastronômica. Para sagrar-se campeão em uma modalidade, o grupo precisa atingir pontuação mínima de 80% nos quesitos definidos pelo regulamento.

Para o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula, o 61º Festival Folclórico resgatou a tradição do folclore popular e a participação do público. “A Prefeitura de Manaus está ao lado do folclorista e essa é uma decisão firme do prefeito Arthur Virgílio Neto, de investir nesse movimento que resgata a cultura popular e que coloca o festival no calendário de eventos turísticos da cidade. Por isso realizamos aqui na Ponta Negra e ano que vem será maior ainda”, destacou.

Já o representante da Liga dos Grupos Folclóricos de Manaus, José Arimatéia, classificou esta edição como sucesso de público. “Acreditamos que o sucesso deste festival se deva, primeiramente, pela escolha da Ponta Negra por ser um dos grandes pontos turísticos de nossa cidade e também pela rica tradição de mais de meio século de nosso festival. O público entendeu a proposta e participou de várias formas”, comentou.

Encerramento

A última noite do festival iniciou às 20h, com show pirotécnico. Logo após, seis grupos se apresentaram. Quem deu o pontapé inicial foi a quadrilha tradicional Festança na Roça que, este ano, trouxe como tema uma homenagem ao santo guerreiro, São Jorge. Às 21h30, foi a vez da dança nordestina Bandoleiros do Sertão. Em seguida, às 22h, a dança internacional Rancho Luso Brasileiro do Amazonas.

Quem fechou a noite foram os grupos da categoria Bronze, que devido a uma forte chuva, no dia 7/8, não se apresentaram, Boi- Bumbá Regional  Clamor de um  Povo, ciranda  Tradição do  Parque 10 e a quadrilha  de  duelos Anjos  Bandidos  Show.

Público

Famílias, amigos e torcedores foram prestigiar a última noite do 61º Festival Folclórico do Amazonas. O despachante de veículos Cardeque Lobato destacou a segurança e organização como pontos fortes desta edição. “Eu e minha família acompanhamos o festival quase todas as noites e observei um trabalho bem organizado, principalmente em relação à segurança. Espero que esse evento continue aqui, pois é acessível e seguro”, comentou.

Amante do folclore, a administradora Maria Luiza da Costa disse estar satisfeita com a escolha do local. “Gostei muito da ideia de ter vindo para a Ponta Negra, porque eu acredito que é mais acessível para o público, principalmente para as crianças que aproveitam o espaço. Eu, por exemplo, trouxe até os sobrinhos para brincar”, contou.

Gastronomia

Tacacá, milho cozido e canjica foram algumas das comidas típicas da feira gastronômica que contou com 30 barracas e food bikes. A chefe de cozinha Marlene Campos, da barraca Delícias da Marlene, contou que as vendas também foram um sucesso. “As vendas foram ótimas, valeu a pena a experiência na Ponta Negra. Hoje à tarde eu recebi pessoas que vieram de Santa Catarina tomar tacacá aqui na minha barraca. Eu só tenho mesmo a agradecer a oportunidade que a prefeitura tem nos dado”.

Já Milene Fernandes, da Pizza Ponta Negra, destacou que a comunicação com os clientes foi um dos pontos principais durante o evento. “Tivemos nessa edição um público bastante diferenciado e isso é legal, porque nós conseguimos de certa forma fazer a divulgação do nosso produto com qualidade, até ganhar a confiança do cliente. Nos divertimos muito aqui, pois conversamos muito  com nossos clientes, a experiência foi maravilhosa”, disse.