Campeonato Parintinense de Skate Street foi um sucesso - Fato Amazônico

Campeonato Parintinense de Skate Street foi um sucesso

Um grupo de jovens adeptos do skate se mobilizou e em parceria com a Associação Amazonense de Skate realizaram com sucesso neste domingo, 04, a primeira edição do Campeonato Skate Street de Parintins que contou com participação de mais de 20 competidores, o campeão da disputa foi Marcelo Cursino, seguido por Neto Butel e em terceiro Nagel Feijo.

“Agente nem tinha noção o que a gente estava fazendo, agente só queria um campeonato, espero que até alguns anos tenhamos atletas profissionais em Parintins”, essa foi à afirmação de Nagel Feijo, 16 anos, um dos idealizadores da competição que foi realizada na quadra do Complexo Benedito Azedo.

Durante a disputa os skatistas profissionais vindos de Manaus Tárcio Viana e André Laranja fizeram apresentação ao publico presente e levaram a galera ao delírio com manobras radicais.

Uma pequena exibição das batalhas dos MC’s foi feita com participação dos raps Arison Luiz e Gladson Pão, este ultimo também é o Diretor da Liga dos Juízes da Associação de Skate do Amazonas, sendo dele a responsabilidade de qualificar as pessoas para julgar as competições promovidas ou apoiadas pela entidade.

Segundo Gladson Pão alguns critérios de avalição dos Campeonatos de skates são o grau de dificuldade de manobra, constância, utilização de todos os osbstáculos, eliminação de erros e quantidade de acertos.

O presidente da Associação de Skate do Amazonas, Antônio Carlos comentou que “pra nós foi uma surpresa, nossa equipe foi recebida por um garoto de 16, o importante é que apesar da idade, tivemos a certeza que ele e seus amigos queriam concretizar um sonho, por isso apoiamos a realização deste evento”, disse.

Como em nossa cidade não existem locais adequados para a prática do skate os próprios integrantes da Associação Amazonense fizeram os módulos de obstáculos, tendo contribuição de alguns empresários, e desportistas como José Maria Valente.

Esses módulos foram colocados na quadra do Complexo Benedito Azedo e foram utilizados durante a competição voltada para atletas iniciantes.

“o skate é mais que um esporte, é sim um estilo de vida que retrata um cotidiano urbano de ir e vir, do jeito que cada um melhor entender, mas nem sempre foi assim, os praticantes de skate já sofreram muito preconceito ao longo dos anos, mais isso mudou” destacou Gladson Pão, que hoje não mais compete profissionalmente por ter sido vitima de acidente de transito.

Surgimento do Skate no Mundo

No final dos anos 50, as ondas estavam escassas no litoral da Califórnia e surfistas pegaram alguns patins, tiraram as rodas e eixos e montaram num pedaço de madeira que imitava a prancha de surf.

O Skate na década de 60 era completamente ligado ao surf e influenciado por ele. Uma extensão da praia no asfalto. Foi neste momento que nasceu o skate vertical, um projeto diferente, que usava uma piscina como transição. Durante a grande seca na Califórnia as piscinas foram esvaziadas e os surfistas/skatistas descobriram que dava para se divertir andando de skate nas paredes, que lembravam as transições das ondas.

O Skate na década de 80 foi caracterizado por uma explosão de rampas de madeira feitas pelos próprios skatistas em ruas, praças e quintais de casa. Com isso surgiu a modalidade Street (em português rua) começou a ser praticada em terrenos até então virgens para o Skate, com as manobras em corrimão, paredes e escadas.