Casos de dengue reduzem 60% em Manaus - Fato Amazônico

Casos de dengue reduzem 60% em Manaus

Mesmo com a redução de 60% nas notificações de casos suspeitos de dengue no primeiro quadrimestre de 2015, em comparação com o mesmo período do ano passado, o alerta continua para que a população de Manaus não perca de foco as ações de combate ao mosquito AedesAegypti, transmissor da doença.

“O Brasil vem registrando um caso de dengue a cada cinco minutos. Em relação ao restante do país, Manaus vive uma situação que pode ser considerada até confortável no que diz respeito à doença, mas não devemos baixar a guarda ou relaxar no combate ao mosquito transmissor. Todos devem ficar em alerta para manter a epidemia afastada de Manaus”, explicou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

Em 2014, no primeiro quadrimestre foram registrados 2.448 notificações de casos de dengue. Este ano, de janeiro a abril houve 966 registros. A redução de casos da dengue em Manaus vem sendo mantida de forma contínua. De acordo com Informe Epidemiológico emitido pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em janeiro deste ano, em todo o ano de 2014 foram notificados um total de 4.240 casos suspeitos de dengue, uma diminuição de 74,5% em relação ao ano de 2013, quando foram notificados 16.634 casos.

Outra informação importante para o tema é a de que este ano, de janeiro a abril, não houve o registro de óbito por casos suspeitos da doença. Em relação à evolução dos casos, a maioria evoluiu para cura, sendo registrados seis óbitos em 2014, uma redução de 40% em relação a 2013 quando ocorreram dez óbitos por dengue.

Combate

Para garantir a redução dos casos de dengue, a Prefeitura de Manaus vem mantendo as ações de prevenção, controle, monitoramento e diagnóstico precoce. Também foi realizado um trabalho para qualificar os profissionais de saúde na realização do bloqueio químico, com aplicação de larvicidas, e o bloqueio mecânico, com a eliminação de focos do mosquito, o que é feito a partir da notificação de casos da doença e na área onde o paciente reside, reduzindo os riscos de transmissão da dengue.

O trabalho é realizado dentro da rotina diária das Unidades de Saúde, em parceria com instituições públicas e privadas, e com a realização de trabalho educativo junto à população. Uma das estratégias utilizadas é o 10 Minutos contra a Dengue, onde a população recebe um check list para verificar na própria residência possíveis focos do mosquito. “A recomendação é para que a população verifique a própria casa e quintal pelo menos uma vez por semana, já que o ciclo da vida do mosquito Aedes aegypti, do ovo até a fase adulta, leva cerca de sete a dez dias. Em dez minutos é possível verificar toda a residência, principalmente calhas, lajes, caixas-d’água, prato de plantas, garrafas, vasilhas guardadas no quintal e outros recipientes que possam servir como criadouros do mosquito”, informou Homero de Miranda Leão.