Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Hoje (25), o Corpo de Dança do Amazonas (CDA) vai receber o Núcleo de Criação Rosa Antuña e a Companhia de Dança Mário Nascimento para um espetáculo no Teatro Amazonas (avenida Eduardo Ribeiro, 659, Centro), a partir das 19h. A apresentação faz parte do projeto “CDA Convida”, que  tem o objetivo de realizar a troca de experiências artísticas entre as companhias. A entrada será gratuita.

No espetáculo serão apresentadas as coreografias  “A quem será que se destina”, do Corpo de Dança do Amazonas; “O Vestido”, do Núcleo de Criação Rosa Antuña e “Zhu”, da Companhia de Dança Mário Nascimento.

“A quem será que se destina”, primeira atração da noite, teve seu processo criativo formulado a partir das experiências e sensações dos 26 integrantes do CDA. Com a proposta de transmitir uma mensagem sensorial e interativa ao público, os bailarinos utilizam, além do palco, os espaços ao redor da plateia para apresentar seus movimentos por meio de músicas da cultura popular brasileira.

Vanessa Viana, de 29 anos, é bailarina do CDA desde 2011 e conta que o processo de criação de coreografias foi elaborado por meio de laboratórios corporais.

“No começo da produção de ‘A quem será que se destina’ nós não tínhamos um tema específico para a montagem do balé. Então as coreografias aconteceram por meio de laboratórios corporais feitos em sala de aula. Nós, como bailarinos e artistas, tentamos sempre expressar as  sensações e sentimentos para que a nossa dança pudesse fazer sentido por meio dos movimentos”, explica.

A equipe de produção do espetáculo é formada por André Duarte e Adriana Góes, assistentes de coreografias; Branco Souza, assistente de direção e o diretor  geral, Getúlio Lima.

Os convidados – A Companhia de Dança Mário Nascimento, uma das convidadas, apresentará a coreografia “Zhu”, na qual os bailarinos abordam, por meio de uma metáfora, a resistência e superficialidade do mundo utilizando referências das mitologias grega e chinesa.  “Zhu” na língua chinesa significa bambu, que é um símbolo de resistência e resiliência, mensagens que o espetáculo pretende transmitir ao público.

Apresentado pelo Núcleo de Criação Rosa Antuña, o espetáculo “O Vestido” é sobre os sonhos que se pretende realizar durante a vida. Buscando incentivar a coragem para romper barreiras, preconceitos e medos, a apresentação busca transmitir a mensagem de que é preciso coragem para se arriscar e encarar o novo.

Adriana Góes, uma das assistentes artística do CDA, explica que a apresentação dos grupos é um meio de educar e expressar sentimentos por meio da arte. “O primordial é a construção de identidade da sociedade, porque a dança, assim como as outras artes, é um meio de comunicação e um meio de expressão do ser humano. É também uma questão de educação, uma oportunidade de se conhecer outras culturas e além delas, conhecer a nossa própria cultura”, pontua.

CDA Convida – O projeto “CDA Convida”, do Corpo de Dança do Amazonas, realiza parcerias com companhias de dança ou artistas independentes com intuito de fazer um intercâmbio de conhecimentos por meio da dança.

O projeto existe desde 2014 quando o CDA realizou uma apresentação conjunta com o Balé Teatro Guaíra e desde então busca contribuir com o desenvolvimento da dança no Amazonas e estimular parcerias entre grupos e artistas.


Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •