Celeiro de lutadores, bairro Alvorada ganha competição em homenagem, tendo como protagonistas a nova safra da Arte Suave - Fato Amazônico

Celeiro de lutadores, bairro Alvorada ganha competição em homenagem, tendo como protagonistas a nova safra da Arte Suave

Um dos bairros mais tradicionais de Manaus, e famoso por ser celeiro de lutadores, ganha este mês uma competição em seu nome voltada para a Arte Suave e propícia para os pequenos. Trata-se da 1ª Copa Alvorada Kids de Jiu-Jítsu, que acontece no dia 19 de agosto, a partir das 9h, no Ginásio Poliesportivo do Amazonas (Antiga Amadeu Teixeira), que fica na Avenida Lóris Cordovil, bairro Flores. O evento, que tem o apoio do Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), deve reunir mais de 400 crianças e terá entrada gratuita.

A Copa é aberta para crianças de 2 a 17 anos, de qualquer categoria e naipe, masculino e feminino, e tambem para PCDs (Pessoas com Deficiência). As inscrições para o evento estão abertas até a próxima segunda-feira, dia 14 de agosto, e podem ser feitas na quadra da Unidos da Alvorada, localizada na Avenida Prosamim. A taxa de inscrição é no valor de R$ 35. A organizadora do evento, Karina Dias, espera disputas pautadas na alegria das crianças.

“Queremos fazer uma grande festa para as crianças. Tudo será decorado com balões, personagens infantis e fantasias para alegrar todas elas, algo bem diferente das outras competições, que em sua maioria são para adultos. E o principal vamos fazer tambem, que é competir de maneira justa, praticar atividade física de forma alegre, espontânea e divertida. Esse é o propósito da Copinha”, explica Karina, ao informar que durante a luta cada técnico receberá um crachá para ficar perto do tatame e instruir seu aluno.

“Muitas crianças são dispersas. Elas precisam das dicas, dos conselhos e das estratégias dos seus professores. E quando tem muita gente gritando, torcendo, ela fica perdida, porque precisa da maturidade e experiência para evoluir. Então cada técnico, munido da sua identificação, ficará mais próximo ao tatame para orientar melhor seu atleta e, assim, acreditamos que o lutador vai ter mais confiança e teremos disputas ainda mais bonitas”, explicou Karina.

Competição

A competição terá início com a categoria a partir de dois anos de idade e os PCDs, numa demonstração lúdica. Depois acontecem as disputas nas demais categorias. As premiações serão para os três primeiros colocados, que receberão medalhas. No ranking das academias, a primeira colocada vai levar R$ 800, a segunda R$ 400 e a terceira R$ 200.

O evento também terá um espaço recreativo para o público infantil com brincadeiras lúdicas, castelo inflável, pula pula e distribuição gratuita de brindes, como picolés e pipocas. Para Karina, toda a decoração será para a criança se sentir à vontade na competição. Ela conta ainda que todos os envolvidos na organização da Copinha estarão vestidos de personagens infantis, o que contribuirá ainda mais para a alegria dos pequenos.

“Eu sempre trabalhei com crianças. Sei que elas precisam de diversão, alegria. É muito bom ver o sorriso de uma criança e mais gratificante ainda é trazer todas essas atividades em prol do esporte. A Copa será um grande parque de diversões”, espera Karina.

Sonho de revelar talentos

Há 12 anos repassando a modalidade, a faixa preta e mestre Karina Dias sempre enxergou o esporte como uma ferramenta de educação e oportunidade. Moradora do Alvorada, ingressou no jiu-jítsu para superar as adversidades da vida e também para alcançar um sonho: usar a arte suave para salvar vidas e formar talentos.

“Sou da época que o bairro era muito perigoso, morava numa favela, área vermelha. E como tinha muitas crianças, meu sonho era ter um projeto social para tirar elas das drogas, da violência urbana e do crime organizado. Hoje, graças a Deus, o esporte tem uma grande função social na minha academia e sou muito feliz e grata por isso. Me sinto uma cidadã que colabora com o próximo”, disse Karina.

Com a Copinha, a Mestre pretende divulgar o resultado de anos de trabalho e apresentar a nova safra do esporte. “Escolhi o nome ‘Copa Alvorada’ pelo histórico que nosso bairro tem em revelar grandes nomes. Saiu daqui o José Aldo, Dileno Lopes e outros que estão despontando. Com isso, muitas crianças tem o mesmo sonho de poder representar o Amazonas a nível nacional e mundial. Então, a copinha serve para mostrar que vontade não falta e que talento tambem não. Tenho certeza que daqui mais nomes serão revelados ao mundo”, frisou.