Francesco “Frank” Cali, conhecido como líder da família Gambino, uma das mais famosas organizações mafiosas dos Estados Unidos, foi assassinado a tiros na noite de quarta-feira 13 na frente de casa, em Nova York, de acordo com informações da polícia da cidade.

Testemunhas dizem ter visto um veículo azul deixando o local pouco depois do tiroteio, mas as autoridades ainda não informaram sobre possíveis responsáveis. O crime aconteceu em frente à casa de Cali, no bairro de Todt Hill, em Staten Island, conhecido pela influência da máfia. O homem de 53 anos foi atingido seis vezes no peito pouco depois das 21 horas, no horário local. Ele chegou a ser levado para o hospital mas foi declarado morto pouco depois. Segundo informações extraoficiais, o mafioso também foi atropelado pela caminhonete conduzida pelos assassinos.

Os Gambinos já foram uma das organizações criminosas mais influentes nos Estados Unidos e uma das cinco maiores famílias da máfia nova-iorquina. Foi então que, nos anos 1980, o governo federal começou uma operação contra a quadrilha. Em 1986, o ex-advogado da união Rudy Giuliani liderou a equipe de acusação que conseguiu a condenação de cinco dos líderes da família por assassinato e extorsão. A vitória ajudou Giuliani a ganhar as eleições para prefeito de Nova York em 1993.

As atividades do grupo decairam mas nunca cessaram. Cali já tinha sido preso em 2008 por uma operação do Departamento de Justiça regional contra o crime organizado. De acordo com a The Associated Press, ele se declarou culpado por uma conspiração que tentava instalar uma das corridas da NASCAR, categoria do automobilismo, em Staten Island, por meio de suborno. Ele foi condenado a 16 meses de prisão em uma penitenciária federal e voltou às ruas em 2009.

Seis anos depois, em 2015, ele assumiu a liderança das atividades criminosas dos Gambino, substituindo Domenico Cefalu, de 68 anos. Os pais de Cali saíram da Sicília, na Itália, e tiveram seu filho em Nova York no ano de 1965. Ele se envolveu com a máfia desde jovem, casando-se com uma sobrinha de John Gambino, antigo chefe da facção. Seu irmão, Joseph, e o cunhado, Peter Inzerillo também são conhecidos por seu trabalho na “família”.

Este é o primeiro assassinato de um patrão da máfia italiana desde 1985, quando o chefe dos Gambino, Paul Castellano, foi morto em frente a uma churrascaria. A morte de Castellano foi encomendada por John Gotti, que tomou a liderança da facção criminosa. Ele permaneceu à frente da organização até 1992, quando também foi condenado por homicídio e extorsão, e condenado à prisão perpétua. Gotti morreu na cadeia uma década depois.

A morte de Cali aconteceu no mesma dia em que Joseph Cammarano, considerado líder da família Bonanno, foi absolvido dos crimes de extorsão e conspiração, informou o jornal The New York Times. Seus advogados afirmaram que os promotores estavam perseguindo seu cliente e defenderam que a Máfia de Nova York não existe mais.

As autoridades americanas e italianas o consideravam um membro e embaixador da Cosa Nostra, o clã de famílias mafiosas italianas, nos Estados Unidos.

(VEJA)