Aos 61 anos, Christiane Torloni tem um carreira bem-sucedida na dramaturgia brasileira, com décadas de trabalho na TV e muitas novelas em seu currículo.

No entanto, nem tudo são flores na vida da atriz que vivenciou a maior perda que uma mãe poderia sofrer ao se deparar com a morte de seu filho em uma tragédia.

Apesar de não falar sobre o assunto com frequência pela dor que isso a gera, Torloni conversou sobre a perda do filho com Marina Caruso, do O Globo.

“Não existe superação. Nada fica igual como antes. Mas o dia a dia vai reconstruindo as pessoas. E a Globo sempre foi solidária. Fui trabalhar na emissora com 18 para 19 anos”, disse a artista sobre o os três anos que se mudou para Portugal para tentar superar o trauma entre 1991 e 1994.

“Todo dia você começa com a sua dor. Tem dia que ela está menor, tem dia que ela está mais forte. (Pausa). Tenho pessoas próximas que me amam, e existe uma rede amorosa de gente que nem me conhece, mas manda cartas do Japão, da Rússia…”, contou a atriz.

Apesar de não esconder, são raros os momentos que Christiane fala sobre o assunto. “Faz muito mal pra mim. Você pode sobreviver a uma guerra, o que não quer dizer que venceu. Apesar dos atos de heroísmo e de superação, há mortes e dores. Como alguém que tem o seu fígado desfeito, eu não tinha certeza se ia conseguir que meu coração voltasse a bater direito. É feito o tsunami que há uns anos mexeu com o eixo da Terra. Minha Terra mudou de eixo. Meu tempo mudou. Tenho que tomar cuidado comigo”, desabafou.

Entenda o acidente do filho de Christiane Torloni

Em 1991, Torloni estava manobrando uma caminhonete na garagem de casa, quando o carro perdeu o controle e caiu em uma ribanceira de 4 metros de altura.

Seu filho Guilherme, na época com 12 anos, fruto do casamento com o diretor Dênis Carvalho, sofreu traumatismo craniano e morreu.

Para viver o luto, a atriz e o irmão gêmeo do menino, Leonardo, se mudaram para Portugal entre 1991 e 1994. (JETSS)