CMM aprova tramitação de projeto de lei que previne o suicídio de jovens - Fato Amazônico

CMM aprova tramitação de projeto de lei que previne o suicídio de jovens

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) aprovou ontem (14), a tramitação do Projeto de lei 226/2017, de autoria do vereador Professor Gedeão Amorim (PMDB), que regulamenta ações de combate e prevenção aos jogos, brincadeiras ou eventos que induzam os jovens as mutilações corporais ou até o suicídio, nas escolas administradas pela Secretaria Municipal de Educação (Semed).

O projeto segue, agora, os tramites da Casa, sendo encaminhado à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para análise e formulação de parecer a ser avaliado em plenário. “A nossa proposta é baseada em conversas que tivemos com professores e pais de alunos que nos relataram haver uma grande incidência de casos de jovens envolvidos nesses jogos nas escolas, mas que não vem a público. Vou lutar para que esse projeto de lei seja aprovado”, explicou o vereador.

Pela proposta de Gedeão, o projeto de lei pretende definir um calendário de campanhas periódicas nas escolas para sensibilizar os professores, gestores, pais, familiares e responsáveis a identificarem comportamentos estranhos e, sobretudo, conversarem e conscientizarem os adolescentes a respeito das consequências de práticas perigosas. “Acredito que se houver diálogo aberto entre alunos, professores e familiares, poderemos salvar vidas”, argumentou Gedeão.

Casos

Neste ano, o jogo Blue Whale (baleia azul), conhecido como um game suicida ganhou destaque nos noticiários e entre os jovens do mundo. No Brasil, uma menina de 16 anos morreu no Mato Grosso após se afogar em uma lagoa na região central de Vila Rica (a 1,2 mil quilômetros de de Cuiabá). A principal suspeita da polícia é a de que a jovem, que apresentava cortes nos braços, participava do jogo da baleia azul.

Já no município de Pará de Minas (MG), foi encontrado no celular do rapaz um grupo de whatsapp chamado “Blue Whale” com pessoas de diversas regiões do país e onde ele enviou uma mensagem de despedida pouco antes de se matar. Aqui no Amazonas, uma mãe recorreu ao conselho tutelar quando observou mutilações nos braços de sua filha de 15 anos.

O jogo baleia azul não é o único que preocupa o vereador Gedeão. “Existem outros jogos perigosos que, também, são praticados entre os adolescentes e crianças. Jogos de asfixia e de invocação de espíritos. Aqui em Manaus tivemos nas escolas, em 2015, uma onda desses jogos que foram parar, inclusive na imprensa. Por isso a nossa proposta abrange uma campanha ampla relacionada”, concluiu o Professor Gedeão.