Com 94,1% construída, Arena da Amazônia, ainda não tem data para ser inaugurada em 2014 - Fato Amazônico




Com 94,1% construída, Arena da Amazônia, ainda não tem data para ser inaugurada em 2014

A Arena da Amazônia Vivaldo Lima, que alcançou 94,1% de execução das obras, ainda não tem data certa para a inauguração "Ainda não temos uma data exata para a inauguração. Ainda estamos analisando o cronograma previsto e o impacto da paralisação na construção da cobertura e fachada, isto é preponderante para que saibamos o dia que podemos inaugurar a Arena", afirmou Miguel Capobiango Neto , coordenador da Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP COPA).

De acordo com o coordenador, o Governo do Amazonas e a construtora Andrade Gutierrez ainda estão estudando o impacto da paralisação ocorrida há duas semanas, devido a morte de um funcionário na obra, para posteriormente definir a nova data de entrega.

Biango, disse que a finalização da cobertura é a principal frente de trabalho atualmente em execução. Além do trabalho em altura, os acabamentos de piso e paredes, instalações de sistemas hidráulicos e elétricos, vidros e acabamentos externos também estão em execução.

No próximo dia 20 de janeiro o Governo do Amazonas irá receber novamente a comitiva da FIFA composta pelo secretário-geral Jèrome Valcke e os membros do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo da FIFA no Brasil, Ronaldo e Bebeto. Na ocasião, eles farão uma visita à cidade e à Arena da Amazônia.

Obras interditadas

As obras nas alturas, foram interditadas, por determinação na Justiça do Trabalho, mas a liminar foi cassada

As obras da Arena da Amazônia, foram interditadas por determinação da Justiça do Trabalho do Amazonas que atendeu a pedido dos procuradores o trabalho. A decisão foi tomada depois da morte de Marcleudo Ferreira, que morreu na madrugada do dia 14 deste mês após cair de uma altura de 35 metros quando instalava os refletores do estádio.

A interdição foi feita em caráter liminar e se limita às obras que envolvam trabalhos realizado a grandes alturas. A decisão da Justiça do Trabalho, atende a Ação Civil Pública, impetrada pelos procuradores, Renan Bernardi Kalil e Jorsinei Dourado do Nascimento e a procuradora Maria Nely Bezerra de Oliveira.

Mortes

O cearense Marcleudo Ferreira, que caiu de uma altura de aproximadamente 35 metros, foi o segundo operário a morrer nas obras da Arena da Amazônia.

No mesmo dia 14, outra morte foi registrada nas obras da Copa Mundo em Manaus, o encarregado de obras José Antônio da Silva Nascimento, 49, faleceu vítima de um infarto por volta das 12h enquanto trabalhava na construção Centro de Convenções do Amazonas (CCA), localizado ao lado da Arena da Amazônia. Ele era funcionário da Empresa Conserge.

Em março deste ano, outro operário da Arena da Amazônia, Raimundo Nonato Lima da Costa, de 49 anos, morreu enquanto trabalhava. Ele teria se desequilibrado e caído de uma altura estimada de cinco metros após tentar passar de uma coluna para o andaime.