Encerrando a programação da Prefeitura de Manaus pelos 349 anos da capital amazonense, populares que estiveram no Centro Histórico na quarta-feira, 24/10, cantaram parabéns em frente ao Museu da Cidade de Manaus. Com direito a bolo e homenagens, a solenidade encerrou as comemorações que contaram, ainda, com o Boi Manaus 2018, Corrida Internacional Cidade de Manaus e a inauguração do Museu Cidade de Manaus, como presente à população.

O prefeito Arthur Virgílio Neto, acompanhado da primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro, celebrou o aniversário da cidade no início da noite de hoje.

Para o prefeito, a celebração do aniversário em frente à sede do Paço da Liberdade, que abriga o Museu da Cidade de Manaus, foi um gesto simbólico, que coroou a entrega do espaço à população manauara, na última terça-feira, 23.     

“A parabenização da cidade em frente ao museu foi um gesto simbólico. Ontem, nós fizemos a inauguração e estamos felizes em saber que as pessoas estão gostando muito, estão apreciando uma obra de arte, que é o nosso museu, e também o conjunto do Paço Municipal, outra obra de arte”, destacou Arthur Neto.

Ainda segundo o prefeito, Manaus vai chegar a realizar o seu grande destino de ser um centro financeiro e internacional, de ser uma cidade dotada de uma infraestrutura próspera, capaz de abrigar a todos que a procurem.

“Não sou manauara de certidão, mas de coração. Sou muito grata ao povo de Manaus, que me abraçou desde que aqui cheguei, há 20 anos. Ontem o prefeito deu de presente à cidade um museu. Um museu que surpreende, ninguém imagina a dimensão da história que temos aqui dentro e vale a pena os manauaras visitarem esse museu e conhecerem sua história”, destacou a primeira-dama.

Durante as homenagens, o jornalista e poeta Aldísio Filgueiras citou trechos do livro “Manaus – As muitas cidades”, de sua autoria e publicado em 1994, com poemas dos anos 1980 e início dos anos 1990. A edição traz na contracapa a seguinte descrição: “Este museu é, do meu ponto de vista, o umbigo da cidade de Manaus. Se soubermos reconstruir, vamos conseguir refazer a história fragmentada”.

No início da noite, fogos iluminaram o céu do Centro Histórico ao som dos parabéns em frente ao Museu da Cidade de Manaus, na sede do Paço da Liberdade.

Museu

Durante o todo o dia, um fluxo intenso de pessoas passou pelo Museu da Cidade de Manaus, levando a prefeitura a estender o horário de visitação. Até às 18h, quando as portas foram fechadas, 4 mil pessoas haviam passado pelo local.

“Fechamos o primeiro dia de visita com sucesso de público, o que demonstra que o caminho de ressignificação do centro histórico é um caminho sem volta iniciado na gestão do prefeito Arthur Virgílio Neto”, destacou o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula.

Uma das primeiras a chegar ao museu, nesta quarta-feira, 24, foi Francisca Vasconcelos, acompanhada de sua neta Sine Vasconcelos. “Moro aqui atrás e ontem vi uma grande movimentação. Fiquei bastante curiosa e vi que estavam inaugurando um museu. Quando eu entrei aqui me emocionei. Lembrei-me da minha infância, quando meu pai andava numa canoa. Estou com 75 anos, mas ao ver essas coisas, parece que foi ontem que vivi tudo isso”, contou.

A professora Sara Mesquita foi acompanhada do marido e dos três filhos e também relembrou da sua infância. “Meus filhos estão tendo a oportunidade de ver como era a nossa cidade, coisas da minha época de criança e que hoje a gente não tem quase acesso. Onde eu morava, por exemplo, tinha pés de fruta, buriti, e hoje meus filhos não conhecem, não tem isso”, comentou.

O Museu da Cidade de Manaus funcionará de terça-feira a sábado, das 9h às 17h. A entrada é gratuita. O agendamento de visitas pode ser feitos pelos números (92) 3622-4991 ou (92) 98822-4497..